Mourão diz que acusações de aumento do desmatamento são “ridículas”

Em reunião de balanço dos resultados alcançados pela Frente Parlamentar da Agropecuária, realizada nesta terça-feira (15), o vice-presidente Hamilton Mourão participou do evento representando o governo Federal e chamou de "ridículas" as acusações sobre o aumento do desmatamento no país.

>Maia consulta partidos à esquerda para decidir entre Baleia e Aguinaldo

Presidente do Conselho da Amazônia, Mourão defendeu que o grande "vilão" do desmatamento ilegal é a exploração de madeira e não o agronegócio brasileiro.  Ele ressaltou que o Brasil detém mais de 6o% do seu território preservado, apontando ser um área muito superior a de países europeus, críticos da política ambiental do governo, e concluiu dizendo que "temos que mostrar que temos ainda este espaço enorme para crescer e sermos cada vez mais competitivos".

Segundo os dados recentes publicados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento ilegal cresceu 9,5% na Amazônia em 2020 - o maior índice em doze anos.

Eleições nos EUA

O vice-presidente falou também sobre o resultado das eleições americanas, afirmando que é um reflexo do avanço do "tribalismo" e do "radicalismo" no mundo marcado pela pandemia de coronavírus. "Esse tribalismo está refletido nas eleições da maior potência, nos Estados Unidos, com essa questão eleitoral, que nós nunca imaginamos que pudesse acontecer dentro daquele país", afirmou.

A fala do vice-presidente brasileiro acontece no dia seguinte à confirmação da eleição do presidente Joe Biden  pelo colégio eleitoral norte-americano. No entanto, o governo brasileiro permanece isolado, como o único a não enviar cumprimentos formais ao novo presidente eleito. O presidente Jair Bolsonaro, alinhado ideologicamente a Donald Trump, chegou a defender publicamente a existência de fraude nas eleições americanas.

No evento, o atual presidente da frente parlamentar Alceu Moreira (MDB-RS) comemorou avanço de pautas apoiadas pelo governo, como a reforma previdenciária e o porte de armas, e defendeu o avanço da reforma tributária. Alceu passa a liderança da frente para o deputado Sérgio Souza (MDB-PR), atual vice-presidente do colegiado.

>Para MPF, repasse do Fundeb para instituições privadas é inconstitucional

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!