“Não há uma situação de absoluta desordem nas ruas”, diz Moro, no Ceará

Uma comitiva interministerial do governo federal chegou a Fortaleza (CE) na manhã desta segunda-feira (24). No grupo estão os ministros Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e André Mendonça (Advocacia-Geral da União). A primeira atividade do grupo foi um sobrevoo pela região metropolitana da capital para acompanhar Operação de Garantia da Lei e da Ordem.

> CE registra 88 assassinatos em 5 dias durante greve de policiais

Após o sobrevoo, os ministros participaram de reuniões com o comando da operação, na 10ª Região Militar, e com o governo do Estado, Camilo Santana (PT).

Em entrevista concedida depois das reuniões, Moro afirmou que "não há uma situação de absoluta desordem nas ruas"" e que a ação do governo tem o objetivo de proteger a população em substituição aos policiais que estão paralisados.

Além disso, o ministro disse que o objetivo da ida da comitiva ao Ceará é "serenar os ânimos". "Os policiais do pais inteiro, não só do Ceará, são profissionais dedicados, que arriscam suas vidas, são profissionais que devem ser valorizados. É o momento de servir e proteger, acalmar os ânimos", disse Moro.

Na sexta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro assinou a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para o Ceará e autorizou o envio de tropas da Força Nacional para a unidade da federação.

O assunto ganhou repercussão nacional quando o senador Cid Gomes (PDT-CE) pilotou na quarta-feira (19) uma retroescavadeira para invadir um local onde policiais militares faziam motim em Sobral (CE). Na ocasião, o pedetista foi atingido por dois disparos de arma de fogo. Depois de quatro dias internado, o senador foi liberado no domingo (23).

> Carlos Bolsonaro chama Ciro e Cid de “pessoal de nariz nervoso”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!