Ministério da Defesa vai acionar a PGR contra Gilmar Mendes

Em nota divulgada nesta segunda-feira (13), o Ministério da Defesa e os comandantes das três armas repudiaram uma declaração do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, que afirmou que o Exército se associou a um "genocídio", em referência à atuação de militares no Ministério da Saúde durante a pandemia de Covid-19.

> Gilmar condena militarização da Saúde: “Exército está se associando a genocídio”

"Comentários dessa natureza, completamente afastados dos fatos, causam indignação. Trata-se de uma acusação grave, além de infundada, irresponsável e sobretudo leviana. O ataque gratuito às instituições não fortalece a democracia", diz a nota assinada pelo ministro Fernando Azevedo e Silva, da Defesa, e pelos comandantes do Exército, General Leal Pujol, da Marinha, Almirante Ilques Barbosa Junior, e da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez.

Na nota, o Ministério da Defesa informa que encaminhará representação à Procuradoria-Geral da República para que investigue o caso.

Veja a íntegra do posicionamento.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!