Mergulho, pesca, ataque à imprensa e “beijo hétero”: o Carnaval de Bolsonaro em SC

O cancelamento do Carnaval por causa da covid-19 não atrapalhou os planos do presidente Jair Bolsonaro. Nos últimos dias Bolsonaro tem se divertido com familiares e amigos no litoral catarinense. Aglomerações, mergulhos, pesca, passeios de barco e jet ski, ataques à imprensa, encontro com apoiadores, que o recebem aos gritos de "mito". O cenário paradisíaco da região de São Francisco do Sul, onde está a comitiva presidencial, em nada lembra a escalada da covid-19 no Brasil. Desde o início da pandemia, em março, cerca de 240 mil pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus. A 546 km dali, em Chapecó (SC), a prefeitura declarou que o município entrou em colapso e não tem mais UTI para atender aos pacientes infectados.

Alguns dos principais momentos do passeio presidencial estão registrados nas redes sociais dos deputados Hélio Lopes (PSL-RJ) e Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e do secretário da Pesca, Jorge Seif, que acompanham o presidente. Carioca radicado em Itajaí (SC), Seif faz perguntas ao presidente e pede a ele que dirija mensagens aos "conservadores" de Santa Catarina, também mostra as instalações do "hotel cinco estrelas" em que estão hospedados no Forte Marechal Luz.

Em um dos vídeos, tasca um "beijo hétero", termo que tomou emprestado do presidente, em Hélio Lopes, também chamado por Bolsonaro e pelos amigos de Hélio Negão, por causa do tom de sua pele. Amigo do presidente há mais de 20 anos, o militar da reserva que usou o sobrenome Bolsonaro na urna, em 2018, quando recebeu a maior votação para deputado federal no Rio de Janeiro. Único negro nas gravações que publica desde o litoral catarinense, Hélio afasta o rótulo de racista de Bolsonaro em suas publicações. "Minha única cor é o Brasil", destaca nos vídeos. Em uma das fotos, ele brinca com o deputado Eduardo Bolsonaro sobre a diferença de cor: "Mesmo pai, mesma mãe. Só demorou dez minutinhos a mais".

Já Eduardo Bolsonaro brinca com as aglomerações feitas em torno do pai na praia. "Pesquisa Ibope e Datafolha ao vivo", diz. "Será que o homem está forte?", acrescenta. "É melhor já ir se acostumando", aconselha Hélio Lopes, fazendo alusão a uma possível reeleição de Bolsonaro em 2022. E foi em uma transmissão feita pelo filho deputado que Bolsonaro mandou recado aos seus críticos na imprensa. “O certo é tirar de circulação, não vou fazer isso porque eu sou um democrata, GloboFolha de S.PauloEstadão, Antagonista… que são fábricas de fake news.

Veja alguns dos momentos da viagem presidencial durante o feriado de carnaval em Santa Catarina:

Bolsonaro sugere fechar jornais em novo ataque à liberdade de imprensa

Continuar lendo