Maia pede ao STF que rejeite ação da oposição contra reforma administrativa

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), enviou ofício ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a rejeição de uma ação apresentada por parlamentares da oposição que pedem a suspensão da análise da proposta de reforma administrativa do governo.

>Após sucesso em 2018, desempenho do Novo frustra Amoêdo, que cobra reflexão

Os parlamentares que  apresentaram a ação argumentam que o governo não entregou análises e estudos sobre os impactos orçamentários que podem ser gerados pela reforma. Por isso, eles defendem que a proposta do governo é irregular.

Rodrigo Maia argumenta que o texto não deve ser suspenso porque ainda não começou a tramitar na Casa e que deve permanecer parada até o retorno dos trabalhos presenciais. Ele lembra ainda que por conta da pandemia, as comissões permanentes, como a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, ainda não foram instaladas.

“Em razão das circunstâncias excepcionais impostas ao funcionamento desta Casa pela pandemia, a tramitação de emendas constitucionais que não contam com amplo apoio do plenário resta sobremaneira dificultada”, escreveu.

O regimento interno da Câmara exige que propostas de emenda à Constituição, como a reforma administrativa, devem passar primeiro por uma análise da CCJ, depois pela comissão especial, para análise do texto, e por fim, vai à Plenário da casa legislativa em dois turnos.

>Em Brasília pode ir para o bar, mas não pode reunir comissão na Câmara, diz deputado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!