Internado há dez dias, Bolsonaro é diagnosticado com pneumonia e febre

A equipe que cuida de Jair Bolsonaro (PSL) no hospital Albert Einstein, em São Paulo, divulgou nesta quinta-feira (7) novo boletim médico a respeito da recuperação do presidente, que passou por retirada da bolsa de colostomia há dez dias. O comunicado, assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo (cirurgião), Leandro Echenique (clínico e cardiologista) e Miguel Cendoroglo (diretor do hospital), aponta sinais de pneumonia após exame no ex-deputado, alvo de facada que quase o matou em setembro do ano passado.

Cirurgia de Bolsonaro chega ao fim, e presidente se recupera em UTI

Segundo o boletim, o quadro de saúde de Bolsonaro ainda inspira cuidados. "Apresentou, ontem à noite, episódio isolado de febre sem outros sintomas associados, foi submetido à tomografia de tórax e abdome que evidenciou boa evolução do quadro intestinal e imagem compatível com pneumonia", diz trecho do comunicado.

 

 

A retirada da bolsa coletora foi a terceira cirurgia pela qual Bolsonaro passou no Einstein desde que foi esfaqueado, em 6 de setembro, durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG). O presidente ficou alguns dias em repouso total e sob observação contínua, no que foi substituído pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

Um gabinete provisório foi montado no hospital para que Bolsonaro despache com ministros, auxiliares e aliados. Inicialmente fixada em dez dias, a previsão de alta teve de ser revista diante das observações sobre o estado de saúde do presidente.

 

Como estão as ações contra o autor da facada em Bolsonaro

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!