Governo vai assinar MP para isentar consumidores de energia do Amapá

Em visita ao Amapá na tarde deste sábado (21), o presidente Jair Bolsonaro anunciou que o governo federal irá editar uma medida provisória (MP) para isentar os consumidores de energia elétrica do estado durante o mês de novembro.

Segundo Bolsonaro, será uma “medida compensatória” aos prejudicados pela falta de energia. “Outras iniciativas que se, porventura se fizerem necessárias, nós estamos prontos para atender o estado do Amapá”, completou.

Na quinta-feira (19), o Senado aprovou um projeto para compensar os consumidores de energia elétrica do Amapá. O texto ainda teria de ser votado pela Câmara e ser sancionado para passar a valer. Com a edição da MP, a validade da medida é imediata.

No dia 3 de novembro, um incêndio em um transformador deixou 14 das 16 cidades do estado sem luz. Dos outros dois equipamentos no local, um também acabou danificado e outro já estava inoperante. Com isso, o estado ficou mais de 80 horas sem energia elétrica e até agora a situação não foi totalmente normalizada. A população tem fornecimento de energia limitado, em sistema de rodízio. Na última terça-feira (17), um novo apagão foi registrado no estado.

Não votantes superaram primeiro colocado em SP, Rio e outras 16 capitais

Dezenove dias depois do primeiro blecaute, Bolsonaro acompanhou o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, em visitas a usinas nas quais serão instalados novos geradores para reforçar o abastecimento. A visita ao estado aconteceu após convite de Davi, que foi ao Palácio do Planalto na última quinta-feira (19) para tratar da situação do estado.

“O mínimo que a gente pode fazer é pagar a energia do povo amapaense no mês de novembro, diante da tragédia que nós vivemos”, defendeu Davi, agradecendo pelo apoio e envolvimento do presidente. “O senhor sempre se mostrou disposto ao governo federal assumir essa responsabilidade que, concretamente, é uma responsabilidade da empresa privada”, elogiou.

“Se o governo federal não assumisse, presidente, essa missão aqui no Amapá, nós ficaríamos, no mínimo, 60 dias sem energia aqui no Amapá”, continuou Davi, que está envolvido com a candidatura à prefeitura de Macapá de seu irmão, Josiel Alcolumbre (DEM). O pleito municipal na capital foi adiado para os dias 6 e 20 de dezembro devido à instabilidade do fornecimento da energia e a preocupações com protestos que irromperam na cidade.

A crise elétrica  tem ameaçado a eleição do irmão do presidente do Senado, que derreteu nas pesquisas de intenção de voto e tem visto a rejeição à família Alcolumbre aumentar.

Crise elétrica ameaça eleição de irmão de Davi Alcolumbre em Macapá

Os 30 dias de gratuidade dos consumidores amapaenses serão pagos com recursos da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), fundo para políticas públicas que reúne todas as despesas e receitas do setor elétrico.

Questionado por repórteres se teria uma mensagem para o povo do estado que está carente em função dos problemas de energia, Bolsonaro respondeu: “Olha, estavam carentes, mas não sem assistência. Desde o começo, fizemos todo o possível para restabelecer a energia no estado”.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!