Governo quer estatal de R$ 4 bi para resto não privatizado da Eletrobras

A Eletrobras comunicou na noite de terça-feira (21) a investidores que o Ministério de Minas e Energia solicitou estudos ao Ministério da Economia para que fosse criada uma nova estatal para gerenciar a usina binacional de Itaipu e a Eletronuclear.

A ideia é que a estatal seja criada caso seja confirmada a privatização da Eletrobras no ano que vem. O ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, solicitou que sejam reservados R$ 4 bilhões do orçamento do próximo ano para a estatal.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

“O PL [de privatização da Eletrobras] estabelece que, em caso de privatização, uma empresa estatal ficará responsável pela participação acionária de Itaipu Binacional, pela atual controlada Eletrobras Termonuclear S.A – Eletronuclear (“Eletronuclear”), pelos bens da União sob administração da Eletrobras e pelos programas de governo”, diz trecho do comunicado assinado por Elvira Cavalcanti Presta, diretora financeira de relações com investidores da Eletrobras.

O governo negocia com senadores do Norte, os principais insatisfeitos com a privatização, mudanças no projeto de lei. Os senadores querem manter a golden share da União, ou seja, ação minoritária, mas com poder de veto na empresa, e a criação de fundo de investimento para estados do Norte.

> Para privatizar, Guedes terá de convencer o Congresso, diz líder do governo

Leia a íntegra do comunicado da Eletrobras:

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país   

> As últimas notícias da pandemia de covid-19

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!