Governo confirma envio de R$ 6 bi para obras do Pró-Brasil

O governo federal enviou nesta quinta-feira (1º) ao Congresso Nacional um projeto de lei solicitando crédito suplementar de R$ 6,118 bilhões para financiar obras de infraestrutura. O impulsionamento das obras está previsto no plano Pró-Brasil, ainda não lançado oficialmente e que está em análise pela Casa Civil. A iniciativa foi publicada no Diário Oficial da União (íntegra). Os remanejamentos ainda precisam ser confirmados em votação no Congresso.

Para financiar a iniciativa o governo cortou R$ 1,4 bilhão da verba antes prevista para o Ministério da Educação. O orçamento do Ministério da Economia foi reduzido em R$ 615,6 milhões, o da Defesa foi cortado em R$ 330 milhões e o da Cidadania em R$ 385,2 milhões. Também foram afetados negativamente os ministérios da Justiça e Segurança Pública (R$ 300 milhões), o do Turismo (R$ 148,7 milhões) e a Presidência da República (R$ 9,9 milhões).

A iniciativa é uma estratégia do governo de Jair Bolsonaro para a retomada da economia. O ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto, nega que a regra do teto de gastos será descumprida e defende investimentos privados para aumentar a verba do programa.

Foram remanejados  R$ 2,3 bilhões para o Desenvolvimento Regional e R$ 1,06 bilhão para a Infraestrutura. O resto será dividido entre Saúde, Minas e Energia e Agricultura. Do total reservado aos ministérios, os congressistas poderão indicar a destinação de cerca de R$ 3 bilhões.
 

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, o dinheiro servirá para atender a ações nas áreas da saúde, da educação, da gestão e da fiscalização de barragens, construção e manutenção de trechos rodoviários e terminais fluviais e a construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

 

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país   

> As últimas notícias da pandemia de covid-19

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!