Governo Bolsonaro já eliminou mais de 3 mil decretos em “revogaço”

O governo federal revogou 3.072 decretos, segundo dados da Secretaria-Geral da Presidência da República atualizados a pedido da reportagem. Foram 2.019 revogações no ano passado e 1.053 até setembro deste ano. Dentro desse “revogaço”, como ficou conhecido, estão a eliminação de normas trabalhistas, o fim do horário de verão e extinção de colegiados.

A medida foi uma determinação feita em 2019 para revisão de atos normativos anteriores ao governo Jair Bolsonaro que estivessem obsoletos. O Executivo alega que o objetivo é desburocratizar o Estado, reduzir o arcabouço normativo existente e simplificar a pesquisa da legislação. São atingidos os atos já revogados tacitamente, mas que continuavam existindo no ordenamento jurídico; aqueles cujos efeitos tenham se exaurido no tempo; e outros que estejam vigentes, mas cujo significado não pode ser identificado.

Em abril do ano passado, foram revogados 250 atos normativos para marcar os 100 dias de governo. O presidente Bolsonaro afirmou na ocasião que a medida iria prosseguir. “Daremos continuidade ao processo. Vamos desregulamentar e diminuir o excesso de regras”, disse ele na ocasião.

Mais um pacote de revogação de decretos está em elaboração pela Presidência da República, mas a Secretaria-Geral não soube precisar quantos atos serão atingidos nem quando. Essa é uma das principais bandeiras do ministro-chefe da SG, Jorge Oliveira, recém indicado pelo presidente para uma vaga no Tribunal de Contas da União (TCU).

Revisaço

Além dos decretos, os ministérios, autarquias e fundações também são incentivados a rever normas infralegais (portarias, instruções normativas e resoluções) – o “revisaço”. No início desta semana, por exemplo, a Casa Civil revogou 35 portarias e resoluções editadas entre 2002 e 2018.

Entre os atos revogados pelo órgão da Presidência está a portaria referente à equipe de transição do governo Temer para o governo Bolsonaro, que funcionou entre novembro e dezembro de 2018. Também foi revogada uma portaria que limitava a realização de despesas com diárias, passagens e locomoção no âmbito da Casa Civil.

Veja quais atos foram revogados pela Casa Civil.

O Valor Econômico informou que o Ministério da Infraestrutura prepara um “revisaço” de quase mil atos. Serão 967 normas que serão eliminadas formalmente ou consolidadas até novembro de 2021.

STJ nega pedido de Flávio Bolsonaro para anular decisões sobre rachadinha

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!