General “ex-tucano” chefiará Segurança Pública

O general da reserva Guilherme Theophilo, de 63 anos, foi anunciado nesta terça-feira (4) pelo futuro ministro da Justiça Sérgio Moro como o próximo chefe da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Hoje a estrutura é um ministério independente, chefiado por Raul Jungmann, mas no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) a pasta será incorporada por Moro.

Enfatizando que irá respeitar a autonomia de estados e do Distrito Federal, o ex-juiz-federal afirmou que a principal tarefa de Theophilo será "padronizar procedimentos" relativos ao trabalho das polícias nas unidades federativas. "Mais do que um homem de ação, eu queria um homem de gestão", disse Moro ao fazer o anúncio no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), onde trabalha a equipe de transição.

Primeiro militar chamado para a pasta da Justiça, Theophilo concorreu nas últimas as eleições ao governo do Ceará pelo PSDB. O general, que entrou neste ano para a reserva, ficou em segundo lugar com 11,30% dos votos válidos, atrás de Camilo, do PT, que levou a disputa no primeiro turno com 79,96%. Na última atualização da planilha de filiados junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ainda consta o nome de Theophilo, mas Moro afirmou que ele já se desvinculou. "Não existe nenhuma indicação político-partidária", disse o ex-juiz da Lava Jato.

Carreira militar

Carioca, Theophilo se mudou ainda criança para Fortaleza e foi criado no Ceará. Entrou no no Exército aos 21 anos e serviu em cidades como Natal, Cuiabá e Brasília. Antes de se tornar general, integrou o Comando Militar da Amazônia e foi assistente do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) no primeiro governo Lula. Logo antes de entrar para a reserva, ocupava o posto de Comandante de Logística do Exército.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!