Forças Armadas defendem democracia e repudiam violência contra jornalistas, diz ministro

O Ministério da Defesa divulgou nota nesta segunda-feira (4) em que lamenta as agressões feitas contra jornalistas em manifestação pró-intervenção militar realizada nesse domingo (3) em Brasília com a presença do presidente Jair Bolsonaro. No comunicado, a pasta também diz que as Forças Armadas estarão sempre do lado da Constituição, da democracia e da liberdade.

> Entidades acusam Bolsonaro de incentivar agressões a jornalistas

O texto assinado pelo ministro Fernando Azevedo e Silva prega a “independência” e a “harmonia” entre os poderes. Durante o ato, enquanto estava na rampa do Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que havia chegado no limite a interferência de outros poderes sobre o Executivo e que as Forças Armadas estavam ao seu lado.

"As Forças Armadas estarão sempre ao lado da lei, da ordem, da democracia e da liberdade", escreveu o general. "Este é o nosso compromisso", acrescentou.

Ontem, no ato pela intervenção militar, o presidente fez a seguinte declaração:

“Vocês sabem que o povo está conosco. As Forças Armadas, ao lado da lei, da ordem, da democracia e da liberdade, também estão ao nosso lado. Peço a Deus que não tenhamos problema esta semana, porque chegamos no limite. Não tem mais conversa. Daqui para frente, não só exigiremos. Faremos cumprir a Constituição. Será cumprida a qualquer preço”.

Profissionais de imprensa foram agredidos verbal e fisicamente pelos apoiadores do presidente, que nada fez para que os atos de violência cessassem. “A liberdade de expressão é requisito fundamental de um país democrático. No entanto, qualquer agressão a profissionais de imprensa é inaceitável”, ressaltou o Ministério da Defesa.

> Não haverá intervenção militar, reafirma cúpula das Forças Armadas

“NOTA OFICIAL

As Forças Armadas cumprem a sua missão Constitucional. Marinha, Exército e Força Aérea são organismos de Estado, que consideram a independência e a harmonia entre os Poderes imprescindíveis para a governabilidade do país.

A liberdade de expressão é requisito fundamental de um País democrático. No entanto, qualquer agressão a profissionais de imprensa é inaceitável.

O Brasil precisa avançar. Enfrentamos uma Pandemia de consequências sanitárias e sociais ainda imprevisíveis, que requer esforço e entendimento de todos.

As Forças Armadas estarão sempre ao lado da lei, da ordem, da democracia e da liberdade. Este é o nosso compromisso.

Fernando Azevedo e Silva
Ministro de Estado da Defesa.”

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país   

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!