Famílias começam a voltar para casa após rompimento de barragem no Ceará

A situação da barragem de uma da áreas da transposição do Rio São Francisco em Jati, no Ceará, foi controlada e moradores foram liberados para retornar a suas casas, segundo informações do Estadão. Na noite desta sexta-feira (21), a tubulação que recebe águas da transposição do Rio São Francisco rompeu, fazendo com que pelo menos 2 mil pessoas, residentes num raio de 2 km, fossem retiradas do local. A barragem faz parte do trecho I (Jati-Carirús), chamado de Cinturão das Águas do Ceará. Apesar do transtorno não houve registro de  feridos.

>Amazônia: 73% do desmatamento para garimpo aconteceu em áreas protegidas

Com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), das defesas civis nacional, estadual e municipal, as famílias foram acomodadas em alojamentos ou em casa de parentes e amigos até que fosse considerado seguro o retorno para suas casas.

O MDR explica que esta foi uma medida tomada como precaução, seguindo o Plano de Ação Emergencial. "Apesar de o vazamento ter sido contido poucas horas após a ocorrência, existia a dificuldade de avaliação técnica da estrutura, por conta da falta de iluminação naquele momento", explica o ministério por meio de nota.

Segundo a pasta, o ministro Rogério Marinho, e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Cel. Alexandre Lucas, seguiram até o local para acompanhar de perto a situação da barragem. Uma equipe de especialistas em segurança de barragens e em gestão de riscos que fazem parte da Defesa Civil Nacional também foi enviada até o local.

Com o vazamento houve uma perda de 2 milhões de metros cúbicos de água, que segundo o ministro, não será desperdiçada. A água foi escoada pelo canal do Eixo Norte.

>Defesa de Flávio Bolsonaro recorre de decisão que manteve inquérito eleitoral

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!