Exército não pune Pazuello e arquiva processo sobre ato pró-Bolsonaro

O Exército Brasileiro decidiu arquivar o processo disciplinar aberto para investigar a participação do general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, em um ato político do presidente.

O Regimento Disciplinar do Exército,  que regulamenta as transgressões, veda ao militar  da ativa "manifestar-se, publicamente", "sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária". O general da ativa participou de um passeio motociclístico com Bolsonaro no dia 23 de maio. Em um dos momentos, ele subiu a um trio elétrico onde o presidente discursou para apoiadores.

Porém, na avaliação do Exército, Pazuello não infringiu regras ao participar da manifestação no Rio de Janeiro. Leia a íntegra da nota divulgada nesta quinta-feira (3) pelo Exército:

"Acerca da participação do General de Divisão EDUARDO PAZUELLO em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general.

Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General PAZUELLO.

Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado.

 Brasília-DF, 3 de junho de 2021

 CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO"

Nesta semana, Pazuello passou a integrar o núcleo palaciano do governo Bolsonaro, ao ser nomeado secretário de Estudos Estratégicos do Palácio do Planalto. A nomeação do ex-ministro da Saúde foi publicada em edição extra no Diário Oficial da União nesta terça-feira (1º).

>>Pazuello obrigou jovem negro a puxar carroça no lugar de cavalo, diz Estadão

Continuar lendo