“Estupidez administrativa”: as reações ao financiamento do Renda Cidadã

O governo anunciou nesta segunda-feira (28) que o Renda Cidadã, candidato a substituto do Bolsa Família, será pago com parte dos recursos do Fundeb e parte da verba destinada ao pagamento de precatórios. A solução desagradou parlamentares de diversos espectros políticos - desde a oposição até congressistas da base governista.

O vice-líder da bancada do PCdoB na Câmara Márcio Jerry (MA) apontou que tirar fundos de uma área essencial para o desenvolvimento do país para colocar em outra também importante é uma "estupidez administrativa", classificou.

>Relator vai manter precatórios e Fundeb no Renda Cidadã e nega calote

O líder do PSB na Câmara, o deputado Alessandro Molon (RJ) comparou a proposta de Bolsonaro com os tipos recorrentes de endividamento de cartões de crédito.

O líder da oposição no Senado, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) classificou a tática como um tipo de populismo.

A proposta de Bolsonaro também foi mal recebida por partidos de centro. O senador Álvaro Dias (Podemos-PR) e o deputado Fábio Trad (PSD-MS) também se posicionaram.

Veja outras repercussões fora do Congresso Nacional:

Para o economista Gustavo Franco, um dos criadores do Plano Real e ex-presidente do Banco Central a proposta é um "calote".

A Ordem dos Advogados do Brasil também se pronunciou.

>OAB rechaça uso de precatórios para financiar programa Renda Cidadã

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!