Diplomata que discutiu com Jean Wyllys na ONU é a nova cônsul do Brasil em NY

O Itamaraty nomeou a diplomata Maria Nazareth Farani Azevêdo para o cargo de cônsul do Brasil em Nova Iorque, nos Estados Unidos. A nomeação foi oficializada no Diário Oficial da União desta terça-feira (12).

Maria Elizabeth era embaixadora do Brasil para a ONU em Genebra, na Suiça, desde 2016. Antes, a representante ocupou cargos em diversas embaixadas, e foi chefe de gabinete do então chanceler Celso Amorim, nos governos do PT.

Apesar de estar na diplomacia há 40 anos e ocupar cargos em Genebra há pelo menos 20 anos, um dos fatos mais comentados de sua carreira ocorreu em 2019 quando bateu boca com o ex-deputado Jean Wyllys na ONU, para perplexidade de diplomatas acostumados com a discrição e a construção de consensos.

Convidado a falar sobre populismo, o ex-parlamentar foi interrompido pela embaixadora – que não estava presente no início do debate. Após intervir na fala, afirmando que Bolsonaro não tinha deixado o país mesmo depois de sofrer um atentado (em uma referência indireta a Wyllys, que fugiu do país alegando sofrer ameaças constantes), Farani abandonou o recinto, não ficando para ouvir a resposta do ex-deputado.

A mudança de ares coincide com a mudança do seu marido, o ex-diplomata Roberto Azevêdo. Ex-presidente da Organização Mundial do Comércio (OMC) entre 2013 e 2020, Azevêdo deixou a presidência do órgão, também sediado em Genebra, para assumir a vice-presidência da americana PepsiCo. Maria Elizabeth passa a ocupar o cargo de Enio Cordeiro, que assumirá a embaixada brasileira em Oslo, na Noruega.

> Congresso em Foco é citado em análise da France Press sobre pandemia no Brasil
> Câmara dos EUA apresenta segundo pedido de impeachment de Trump

Continuar lendo