Crise causada por saída de Teich faz apoio a Bolsonaro cair para 12% no Twitter

A crise causada pela saída de Nelson Teich do Ministério da Saúde fez o campo de apoio a Bolsonaro recuar para apenas 12% no Twitter. Com 1,27 milhão de menções na rede social em apenas quatro horas, 65% do debate sobre o governo foi ocupado por manifestações da oposição. Os dados são da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV DAPP).

> Centrão considera Ministério da Saúde vidraça e não quer indicar nome

A demissão de Nelson Teich fez o debate sobre governo superar as discussões sobre a pandemia de covid-19. Nos grupos públicos de WhatsApp observados pela FGV, o pedido de demissão do Ministro da Saúde foi tema de quatro dentre os cinco links mais compartilhados.

Assim como nas demissões de Moro e do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, o episódio envolvendo Teich inflou a base partidária de oposição ao governo na sexta (15) ‒ que registrou um aumento de quase 160% de participação no debate geral no Twitter, em relação ao dia anterior. Os ataques miram diretamente o presidente Jair Bolsonaro, acusado de forçar a demissão de Teich em função da sua resistência ao uso da hidroxicloroquina, cuja prescrição tem sido fortemente defendida pelo presidente como principal medida de combate ao novo coronavírus.

Encabeçada pelo presidente @jairbolsonaro, pelos deputados federais @carlazambelli38 e @bolsonarosp, pelo presidente do PTB, @blogdojefferson, e pelo influenciador @leandroruschel, a base de apoio ao governo no Twitter, por outro lado, se concentra em reiterar a urgência da aprovação da hidroxicloroquina para o tratamento da covid-19 e em reivindicar o fim do isolamento social.

> Na Venezuela, Maduro defende uso da cloroquina contra covid-19


 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!