“Comigo não tem liberação de droga nem plantio”, diz Bolsonaro sobre maconha

Em conversa em frente ao Palácio da Alvorada no fim da tarde desta terça-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro comentou um projeto de lei que regula o plantio de canabidiol para fins medicinais. Em resposta a uma apoiadora, que apelou contra o texto, Bolsonaro respondeu: “comigo não tem liberação de droga nem plantio, tá? Fica tranquila. O agronegócio não inclui maconha, não”.

De autoria do deputado Fábio Mitidieri (PSD-SE), a matéria está em discussão na Câmara e permite as atividades de cultivo, processamento, pesquisa, armazenagem, transporte, produção, industrialização, comercialização, importação e exportação de produtos à base de cannabis spp. Os extratos da planta poderão ser utilizados para fins medicinais humano ou veterinário.

Relator vê distorção em debate sobre plantio de maconha para fins medicinais

Ao comentar a repercussão negativa do discurso exibido hoje na abertura da 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), Bolsonaro afirmou que “se a mídia está criticando é porque o discurso foi bom”. Representantes de diferentes orientações políticas criticaram o discurso presidencial, enquanto a mídia apontou distorções no pronunciamento, que continha declarações falsas.

Em sua fala, que durou cerca de 15 minutos, o presidente defendeu o agronegócio brasileiro e afirmou que o país é “vítima de uma guerra de desinformação sobre Amazônia e Pantanal”. Bolsonaro se eximiu de responsabilidade pelo aumento do desmatamento e das queimadas no país e pelo elevado número de mortos por covid-19, áreas em que o país tem sido contestado internacionalmente.

> “Falacioso”, diz Conselho Indigenista Missionário sobre discurso de Bolsonaro na ONU

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!