Com ágio de 3.800%, governo arrecada R$ 3,3 bilhões em leilão de aeroportos

O governo vai arrecadar R$ 3,3 bilhões com resultado dos leilões para a concessão de 22 aeroportos, encerrados há pouco em São Paulo. O ágio, diferença entre o mínimo fixado pelo governo e a soma dos lances vencedores, foi de 3.822%. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, comemorou o resultado. "Foi um movimento de ousadia, muita gente disse que éramos loucos em licitar aeroportos no meio da maior crise do setor. Mas vimos a oportunidade", afirmou.

O valor total de investimento estimado pelo governo com as concessões é de R$ 6,1 bilhões. A Companhia de Participações e Concessões (CPC), do Grupo CCR, levou dois dos três blocos leiloados. Ficou com o bloco Sul, composto por nove aeroportos, entre eles Curitiba e Foz do Iguaçu (PR), arrematado por R$ 2,128 bilhões - ágio de 1.500%. A CPC também arrematou o bloco Central, com seis aeroportos do Centro-Oeste e Nordeste, por R$ 754 milhões - ágio de 9.000%. Já o bloco Norte, que inclui o terminal de Manaus, foi arrematado pelo grupo francês Aeroportos Vinci, por R$ 420 milhões - ágio de 778%.

Os certames fazem parte da Infra Week, semana dedicada pelo Ministério da Infraestrutura à realização de leilões para a concessão de 22 aeroportos, cinco portos e uma ferrovia. Os leilões continuam na quinta e na sexta-feira. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), os três blocos de aeroportos respondem, em condições normais, a 11% do total do tráfego de passageiros do país, o equivalente a 24 milhões de pessoas por ano.

>Pedidos de impeachment de Bolsonaro disparam e passam de 100

>Até os governistas avaliam mal a política ambiental de Bolsonaro

 

Continuar lendo