Centrais sindicais organizam paralisação em dia de luto por mortos por covid-19

As centrais sindicais marcaram para 7 de agosto um "Dia de Luto e de Luta" para protestar contra as medidas do governo federal de combate à pandemia de covid-19. Na avaliação das organizações, a ação do governo é "desastrosa" e "desorganizaram e confundiram as ações de enfrentamento à pandemia".

> MP investiga compra de insumos para fabricação de cloroquina pelo Exército

As centrais organizadoras do ato são a CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, CSP/Conlutas, Intersindical, Intersindical/Instrumento de Luta, CGTB e Central Pública.

No ato, trabalhadores de diversas fábricas ficarão parados por 100 minutos; em algumas cidades, os sindicalistas acenderão velas e colocarão cruzes em locais públicos. Há também uma campanha incentivando os brasileiros a colocarem pano branco nas janelas como forma de lembrar a situação que atravessamos.

As centrais sindicais também vão cobrar a manutenção do auxílio-emergencial de R$ 600 até dezembro de 2020, a ampliação das parcelas do seguro-desemprego, mais equipamentos de proteção individual e coletivo para as categorias essenciais e mais créditos para as micros e pequenas empresas.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!