Bolsonaro vai à Bahia e diz que não há constrangimento

Após um final de semana de polêmicas envolvendo os comentários do presidente Jair Bolsonaro sobre os governadores dos estados do nordeste, o presidente viaja para a cidade de Vitória da Conquista, na Bahia, nesta terça-feira (23). No final da tarde deste domingo, Bolsonaro afirmou que não se sente constrangido em realizar a visita.

>Parlamentares do nordeste criticam Bolsonaro em carta

>Governadores do NE cobram de Bolsonaro explicações de fala contra Região

“Bahia é Brasil, não tem problema”, disse, ao ser questionado sobre a agenda prevista à cidade baiana para inaugurar o Aeroporto Glauber Rocha. “Nordeste é Brasil, é minha terra. Eu ando em qualquer lugar do território brasileiro”, completou. Questionado se deixaria de ir ao Maranhão, Bolsonaro disse que não deixaria de ir se tivesse algum evento marcado no estado. “Se tiver um evento [no Maranhão] eu vou, por que não?”. As declarações feitas em conversa com a imprensa no Palácio da Alvorada, enquanto cumprimentava turistas.

A polêmica começou na sexta-feira (19). Ao receber jornalistas estrangeiros para um café da manhã no Palácio do Planalto, Bolsonaro falou reservadamente com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: “daqueles governadores de ‘paraíba’ o pior é o do Maranhão; tem que ter nada para esse cara”. As imagens e áudio já estavam sendo captados pelo sistema de transmissão de televisão e assim a conversa passou a circular publicamente.

No domingo, nas redes sociais, Bolsonaro comentou a repercussão e voltou a criticar os chefes dos poderes executivos estaduais da região nordeste. Ele também criticou uma general que demonstrou apoio ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), principal alvo de Bolsonaro.

Novos cortes no orçamento

Durante as declarações que deu neste final de semana, o presidente também confirmou que o governo deve anunciar um novo contingenciamento de recursos do orçamento, na ordem de R$ 2,5 bilhões. “Nós estamos no sufoco e queremos evitar que o governo pare, dado o nosso orçamento completamente comprometido, deve ter um novo corte, deixa eu adiantar, mas eu não falei de vai acontecer, falei que deve acontecer: R$ 2,5 bilhões, uma merreca, concorda, diante de um orçamento trilionário? “, comentou o presidente.

A afirmação contraria o que foi dito na quinta-feira (18), pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Ao sair de uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, ele declarou que o governo trabalhava para evitar bloqueios de verbas. “Recebemos um orçamento apertado e temos o desafio de continuar as ações do governo. Mas não estamos pensando em um novo contingenciamento de gastos”, afirmou Lorenzoni.

O anúncio do contingenciamento é esperado para esta segunda-feira (22), na divulgação o novo Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas, marcada para as 15h.

*Com informações da Agência Brasil

>Bruna Surfistinha diz que Bolsonaro faz ‘declaração infeliz’

>Bolsonaro: “Fome no Brasil é mentira”

Bahiacontingenciamento de despesascortes no orçamentocortes orçamentáriosFlávio DinoJair BolsonaronordestePaulo Guedes