Bolsonaro revoga licitação que excluía a Folha de São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro recuou da decisão de manter a Folha de São Paulo de fora de uma licitação do governo federal. A revogação do edital que excluia a Folha da licitação que vai fornecer ao executivo acesso digital a jornais e revistas foi publicada nesta sexta-feira (6) no Diário Oficial da União a

>Bolsonaro abusa do poder e deve ser contido, diz Folha em editorial

O Edital previa 438 assinaturas digitais de 24 jornais e 198 assinaturas de 10 revistas, somando um valor de R$194.393.64. Na lista, vinham registrados veículos de todo país e alguns veículos internacionais, mas não a Folha de São Paulo.

A exclusão foi vista como um ataque ao veículo e à imprensa. Um dia após a publicação do edital, por exemplo, o presidente afirmou que boicotaria produtos dos anunciantes do jornal.

A revogação do edital foi anunciada após receber críticas de entidades e juristas. O jornal afirma que para especialistas, excluir e boicotar anunciantes do veículo seriam atitudes de violação de princípios constitucionais como impessoalidade e moralidade. O PCdoB chegou a pedir a Justiça a suspensão dessa licitação, por entender que a exclusão da Folha do edital fere a Lei de Licitações.

Segundo matéria publicada pelo Congresso em Foco, a Fenaj calcula que os ataques à  imprensa por parte do presidente Jair Bolsonaro somam pelo menos 111 ao longo do ano, quando é levado em consideração discursos, entrevistas oficiais e postagens no Twitter.

>Bolsonaro bateria todos os oponentes se eleição fosse hoje, revela pesquisa FSB/Veja

 

Campanha do Congresso em Foco no Catarse

 

abuso de poderataques à imprensaboicote à FolhaCongresso em Focoedital exclui FolhafenajFolhafolha de são pauloJair Bolsoaroliberdade de expressãoliberdade de imprensarevogaçãorevogação de edital