Bolsonaro promete indicar pastor evangélico para próxima vaga no STF

O presidente Jair Bolsonaro prometeu na noite dessa segunda-feira (5) indicar um pastor evangélico para a próxima vaga aberta no Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Marco Aurélio Mello se aposentará em julho do ano que vem.

>Maia e Guedes fazem as pazes e querem acelerar agenda de reformas

Em culto em homenagem a um líder da Assembleia de Deus em São Paulo, Bolsonaro rebateu críticas que tem recebido no meio evangélico por ter indicado para o lugar do ministro Celso de Mello, na semana passada, o desembargador Kassio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Lideranças religiosas do segmento não consideram o desembargador conservador e o associam à esquerda.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

"Alguns um pouco precipitados achavam que devia ser a primeira vaga do STF. Será a segunda em julho do ano que vem. Mais que um terrivelmente evangélico, será um pastor. Imagine a sessão daquele Supremo começar com uma oração. Tenho certeza que isso não é mérito meu. É a mão de Deus", afirmou Bolsonaro, durante as comemorações do aniversário do pastor José Wellington, de 86 anos, líder da Assembleia de Deus Ministério do Belém, na capital paulista.

Um dos nomes que se encaixam no perfil prometido pelo presidente é o ministro da Justiça, André Mendonça, que é pastor e aparecia entre os favoritos para a vaga de Celso de Mello.

>Celso de Mello arquiva pedidos de impeachment contra Pazuello e Azevedo

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!