Bolsonaro não decidiu se vai vetar fundo de R$ 2bi e ouve ministro

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta sexta-feira (3) com o ministro da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, para avaliar questões técnicas sobre o fundo eleitoral. O ministro acumula o cargo de Subsecretário para Assuntos Jurídicos. Um dos receios de Bolsonaro ao vetar o projeto é cometer crime de responsabilidade.

> Bolsonaro fala sobre fundo eleitoral: “É preciso preparar opinião pública”

O Congresso Nacional aprovou o valor de R$ 2 bilhões para financiar as eleições de 2020, mas a quantia gerou revolta entre apoiadores do presidente por ser considerada excessiva. O presidente tem até o dia 20 de janeiro para sancionar ou vetar o orçamento, caso não tome uma decisão, os valores passam a valer tais como foram definidos pelos deputados e senadores.

Na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou na quinta-feira (2) que antes de tomar a decisão de vetar ou não o Fundo Eleitoral aprovado pelo Congresso, é preciso preparar a opinião pública para uma decisão que será tomada de forma a respeitar a Constituição.

“O veto ou a sanção é uma obediência à lei. Se você ler o Artigo 85 da Constituição, vai ver que, se não respeitar a lei, estou em curso de crime de responsabilidade. O que posso dizer é isso. A conclusão agora é de vocês. Porque é o seguinte: temos de preparar a opinião pública. Caso contrário, vocês [da mídia] me massacram; arrebentam comigo”, afirmou o presidente.

>Congresso aprova fundo eleitoral de R$ 2 bi

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!