Bolsonaro escolhe Gustavo Canuto para chefiar o Ministério do Desenvolvimento Regional

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) comunicou nesta quarta-feira (28) a escolha de mais um membro de sua equipe ministerial. Trata-se de Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto, servidor efetivo do Ministério do Planejamento "com ampla experiência", indicado para o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

Com o anúncio de hoje, já são 17 os ministros indicados por Bolsonaro – durante a campanha, o capitão da reserva havia dito que seriam "em torno de 15 ministérios" em funcionamento na sua gestão. Com a indicação, na última segunda-feira (26), do general Carlos Alberto dos Santos Cruz como ministro da Secretaria de Governo, quatro das seis autoridades escolhidas para gabinetes estratégicos no Palácio do Planalto são militares do Exército.

Mais uma vez, o anúncio foi à "moda Donald Trump", presidente norte-americano que usa suas redes sociais para se comunicar com seus conterrâneos e com o mundo.

 

 

Segundo o site do Ministério da Integração Nacional, em que Gustavo consta como secretário-executivo, o novo escolhido não tem filiação partidária. Ele integra a carreira de especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental e tem graduação em Engenharia de Computação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e em Direito pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB).

Gustavo exerceu nos últimos anos a função de chefe de gabinete do ministro da Integração Nacional. Além disso, também já atuou na Secretaria de Aviação Civil, na Secretaria-Geral da Presidência da República e na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

 

TSE marca para 4 de dezembro julgamento das contas de campanha de Bolsonaro

Onyx não conseguiria fazer sozinho articulação do Planalto com o Congresso, diz Bolsonaro

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!