Bolsonaro diz que veto ao fundo eleitoral atrapalharia democracia

O presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa da sanção do fundo eleitoral para tentar minimizar as críticas que tem recebido por conta da decisão de manter a destinação de R$ 2 bilhões para o financiamento das eleições deste ano. Ele disse neste sábado (18) que, além de poder virar alvo de um pedido de impeachment, estaria "atrapalhando a democracia" se vetasse o dispositivo.

> Bolsonaro sanciona fundo eleitoral de R$ 2 bilhões

"Eu tenho que cumprir a lei. Tá no artigo 85 da Constituição. Eu podia ser enquadrado em crime de responsabilidade. Todos nós somos escravos da lei... Estaria atrapalhando a democracia, o cumprimento da Lei Eleitoral com o veto", justificou Bolsonaro, ao discursar no evento de recolhimento de assinaturas do Aliança pelo Brasil em Brasília neste sábado.

Bolsonaro ainda afirmou que, como tem que cumprir a lei, às vezes realmente tem que tomar decisões com as quais não concorda. E sugeriu que, por isso, não pode agradar todos a toda hora. "Temos que agir com inteligência e às vezes recuar. Algumas coisas eu sanciono contra a minha vontade. Outras eu veto contra a minha vontade também. O Brasil não é meu. Tem os outros poderes", declarou, garantindo que respeita tanto as decisões do Congresso Nacional quanto as do Supremo Tribunal Federal (STF).

Apesar de inicialmente ter criticado e ameaçado vetar o fundão de R$ 2 bilhões, Bolsonaro também disse que esse valor não poderia ser questionado porque foi recomendado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). E alegou que só teria argumentos para vetar o fundo eleitoral caso o dispositivo fosse mantido em R$ 3,8 bilhões, valor que foi cogitado pelo Congresso, mas foi deixado de lado pelos parlamentares a pedido do próprio Bolsonaro.

Ele ainda aproveitou para rebater as críticas que tem recebido nas redes sociais por conta da decisão de sancionar o fundão nessa sexta-feira (17). Ele reclamou que a "falsa direita" e os "isentões" estavam o criticando na "cara de pau". "Também vêm alguns coleguinhas eleitos pelo PSL falarem abobrinha, mas tudo bem. 'Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará", concluiu Bolsonaro, que foi aplaudido depois dessa citação bíblica.

Veja o discurso de Bolsonaro, que foi transmitido na internet pela deputada Bia Kicis (PSL-DF):

> Bolsonaro é chamado de traidor após sanção do fundo eleitoral

> Bolsonaro fala sobre fundo eleitoral: “É preciso preparar opinião pública”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!