Após críticas, Bolsonaro defende Kassio Nunes sobre caso Battisti

Após inúmeras críticas de apoiadores por ter indicado Kassio Nunes ao Supremo Tribunal Federal (STF), Jair Bolsonaro divulgou na manhã deste domingo (4) uma nota de esclarecimento sobre a decisão do desembargador no caso da extradição de Cesare Battisti.

> Bolsonaro confirma indicação de Kassio Nunes para o STF

Pelo Twitter, o presidente disse que é mentira que o postulante ao Supremo tenha concordado com a permanência do italiano no país. Na sexta-feira (2), apoiadores do presidente também questionaram o entendimento de Kassio Nunes sobre o caso. "A política era privativa do presidente Lula, e ele decidiu que ficasse no Brasil, o Supremo decidiu. Em consequência, não pode um juiz de primeira, segunda instância, modificar decisão do Supremo Tribunal Federal, e o Kassio integrava essa turma, e ele acompanhou o relator", disse Bolsonaro no Palácio da Alvorada.

  Bolsonaro disse ainda lamentar as "críticas infundadas que inundaram as mídias, em especial de uma autoridade do Rio, que queria a qualquer custo" que o presidente indicasse seu candidato ao Supremo.

Desde que anunciou Kassio Nunes para o STF, Bolsonaro vem recebendo duras críticas da ala ideológica do governo. Na sexta-feira (2) a #BolsonaroPetista ficou nos assuntos mais comentados do Twitter durante parte da tarde.

Em um vídeo publicado na semana passada, o pastor Silas Malafaia reagiu com veemência ao nome do desembargador. "O presidente não teria necessidade de colocar um 'terrivelmente evangélico'", reconheceu o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, "mas um 'terrivelmente de direita', sim". O líder evangélico disse que a indicação atende "o Centrão, o PT, a Esquerda, corruptos, quem é contra a Lava Jato"– e o senador Ciro Nogueira (PP-PI), citado nominalmente por Malafaia.

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), afastada da liderança do governo na última semana, também disse que preferia outro nome, citando o jurista Ives Gandra Martins Filho.

Apesar da revolta de bolsonaristas, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, manifestaram apoio à indicação de Kassio Nunes ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Neste sábado (4), a CNN Brasil divulgou imagens de uma reunião entre o ministro do STF, Dias Toffoli, o presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), Bolsonaro e Kassio Nunes. De acordo com a emissora, eles se reuniram para ver o jogo do Palmeiras e tratar do processo de sabatina do desembargador no Senado.

Se aprovado pelos senadores, Nunes substitui o decano Celso de Mello, que antecipou sua aposentadoria de novembro para o próximo de 13.

> Contra Kassio Nunes, bolsonaristas fazem campanha por conservador no STF

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!