Bolsonaro anuncia diplomata Ernesto Araújo para comandar Ministério das Relações Exteriores

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou agora há pouco, em suas redes sociais, mais um nome de sua equipe ministerial. Trata-se do embaixador Ernesto Araújo, que comandará a pasta das Relações Exteriores (MRE). É o oitavo ministro anunciado por Bolsonaro desde 29 de outubro, dia seguinte ao segundo turno da corrida presidencial.

"A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores", escreveu Bolsonaro em sua conta no Twitter.

>> Equipe econômica de Bolsonaro não durará seis meses, projeta Cid Gomes

Tão logo foi anunciado o nome de Ernesto Araújo, as redes sociais já ganharam postagens diversas sobre o perfil do novo ministro. Chefe do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Ministério das Relações Exteriores, ele estreou um blog em outubro com severas críticas ao PT – para Ernesto, "Partido Terrorista".

No blog, por meio do qual não se identifica como diplomata, ele defendeu abertamente a eleição de Bolsonaro. "Fascista é o nome dado pelos comunistas a qualquer inimigo do regime de terror que o PT pretende instaurar ou reinstaurar no Brasil. O PT (Partido Terrorista) está se preparando para tomar o poder no Brasil", escreveu em uma postagem.

 

 

Em 30 de setembro, a uma semana das votações de primeiro turno, ele fez outro registro para reportar sua participação em uma passeata pró-Bolsonaro em Brasília. "O movimento popular por Bolsonaro não se nutre de ódio, mas de amor e de esperança… Só me lembro de uma atmosfera cívica desse tipo em duas ocasiões: a campanha das Diretas Já em 1984 e o movimento pelo impeachment em 2016. Isso significa que se trata de muito mais do que uma eleição… Trata-se de uma luta pela sobrevivência da pátria", escreveu o diplomata, que postou fotos da manifestação.

No blog, Ernesto Araújo se define da seguinte maneira: "Sou Ernesto Araújo. Tenho 28 anos de serviço público e sou também escritor. Quero ajudar o Brasil e o mundo a se libertarem da ideologia globalista. Globalismo é a globalização econômica que passou a ser pilotada pelo marxismo cultural. É um sistema anti-humano e anti-cristão".

Segundo informações da Agência Estado, Ernesto concorria ao posto de ministro do MRE com figuras como Marcos Galvão, atual secretário-geral das Relações Exteriores. Ao lado de Bolsonaro, hoje (quarta, 14), em Brasília, o novo ministro já deu alguns recados. "Minha missão será garantir que, nesse momento, o Brasil tenha mais espaço, independente do país com que nos relacionamos", declarou.

Bolsonaro também falou sobre o novo chanceler. "Obviamente, a missão dele é motivar o Itamaraty, incrementar negócios com o mundo todo, sem o viés ideológico. Eu venho acompanhando há muitos anos a questão da Venezuela. Não podemos abandonar nossos irmãos, mas o governo federal não pode deixar que o governo de Roraima resolva isso. Eu teria tomado uma atitude sobre a Venezuela há muito tempo", afirmou o presidente eleito.

 

>> Bolsonaro criará Ministério da Cidadania, anuncia Onyx

>> Bolsonaro diz que manterá Trabalho com status de ministério

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!