Bolsonaro admite: “Não sabemos quanto de óleo ainda tem no mar”

Os fragmentos de óleo que há quase três meses mancham as praias do Nordeste brasileiro chegaram ao litoral do estado do Rio de Janeiro neste sábado (23). No Rio para participar de agendas oficiais junto ao Exército, o presidente Jair Bolsonaro admitiu que o governo não tem ideia de quanto óleo ainda há no mar. Ele disse, então, que é preciso estar preparado para o pior cenário.

> Com Witzel em Lima, Bolsonaro vai ao Rio e torce pelo Flamengo

"Gostaríamos que fosse identificado quem, no meu entender, cometeu esse ato criminoso. Agora, não sabemos quando de óleo ainda tem no mar. Na pior hipótese, um petroleiro, caso tenha jogado no mar toda a sua carga, na pior hipóteses, menos de 10% chegou em nossa costa ainda. Então, nos preparemos para o pior", revelou o presidente Jair Bolsonaro, indicando que o óleo ainda pode poluir muitas praias brasileiras.

Neste sábado, as manchas que já haviam sido constatadas nos nove estados nordestinos e também no estado do Espírito Santo chegaram ao litoral norte do Rio de Janeiro. Com isso, já foram poluídas 725 localidades de 121 municípios contaminados pelo resíduo.

A origem do óleo, contudo, ainda não foi identificada. Por isso, a Câmara dos Deputados deve instalar nos próximos dias uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a origem e os responsáveis pelo óleo. Os deputados ainda prometem usar a CPI do Derramamento de Óleo para discutir medidas que possam prevenir a ocorrência de novos desastres ambientais como esse.

> CPI do Óleo será comandada por deputados do Nordeste

> Tenha a melhor cobertura do Congresso de graça no seu Whatsapp

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!