Após derrota, aliados dizem que Bolsonaro “nem queria filho líder do PSL”

Após toda repercussão negativa gerada pela derrota do governo na tentativa de destituição do líder do próprio partido na Câmara, para colocar no lugar o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (SP), a ala  bolsonarista do PSL saiu neste sábado em defesa de Jair Bolsonaro e do filho, e passou a afirmar que o presidente não queria colocar o deputado na liderança da legenda. Os deputados dizem que teriam insistido para que pai e filho aceitassem a manobra.

> Ex-líder do governo diz que Bolsonaro pode levar Brasil à ruínas

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que está sofrendo ameaças de suspensão do partido por ter apoiado a tentativa de destituição do líder da sigla na Câmara, Delegado Waldir (GO), afirma que a ideia de colocar no lugar o filho do presidente partiu dela e dos outros deputados bolsonaristas. “Eu estava lá quando @jairbolsonaro pediu para encontrarmos outro nome para liderar o PSL, que não seria legal colocar um filho seu”, relatou a deputada. “Mas nós insistimos, pois era consenso entre todos e o próprio Eduardo tbm [também] ponderou. A escolha foi nossa. Falta de ética dizer o contrário”, disse no Twitter.

O deputado Sanderson (PSL-RS) disse que a ideia de retirar o Waldir da liderança é antiga. “Ao contrário do divulgado, NÃO partiu de EDUARDO @BolsonaroSP e muito menos do PR [presidente] @jairbolsonaro o nome de seu filho para liderar o PSL na CD [Câmara dos Deputados]. A ideia de substituir o líder VALDIR [sic] vem lá de trás. Aliás, Eduardo nem queria. Nós é que insistimos. Os 53 deputados do PSL sabem disso”, publicou em sua conta do Twitter.

Outro parlamentar que está sofrendo ameaças de suspensão por apoiar a tentativa de destituição, Filipe Barros (PSL-PR), compartilhou a publicação de Sanderson.

Jair Bolsonaro admite que estava ligando para os deputados do PSL para tentar completar o número de assinaturas necessárias para destituir o Delegado Waldir. Na gravação, ele lembra que o líder tem “o poder de indicar pessoas, arranjar cargos no partido e promessas para o fundo eleitoral”.

> Bolsonaristas estão isolados no PSL e se informando pela imprensa

> “Não sei se vai dar para conciliar”, diz Delegado Francischini sobre PSL

Catarse
bolsonaristaCarla Zambellideputado SandersonEduardo BolsonaroFilipe BarrosJair BolsonaroLíder do PSLPSL