Marcelo Queiroga anuncia secretaria extraordinária de enfrentamento à covid

Nesta quarta-feira (14), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou a criação de uma secretaria extraordinária de enfrentamento à covid-19 dentro do Ministério da Saúde, que será coordenada pela enfermeira Franciele Fontana, servidora de carreira da pasta. "Escolhemos uma funcionária de carreira para prestigiar a carreira pública, para fortalecer os quadros do Ministério da Saúde", explicou o ministro.

Atualmente, a enfermeira é coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI). Segundo o ministro, a escolha dela também sinaliza que o principal foco do governo agora é o fortalecimento da campanha de vacinação. Além disso, o ministro apresentou ao lado do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e do deputado Dr. Luizinho (PP-RJ), que substituiu o presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL), os principais pontos discutidos na segunda reunião do comitê.

Pacheco reforçou medidas que têm sido realizadas no âmbito do poder legislativo como a aprovação de projetos sobre a aquisição de vacinas pelo setor privado, a concessão de imunidade tributária para produção de vacinas, que foi aprovada no Senado e tramita na Câmara. O parlamentar sinalizou ao ministério da Economia sobre a necessidade de se renovar programas de manutenção de empregos e de apoio a micro e pequenas empresas, como o Pronampe.

A reunião também debateu a aquisição de insumos e de novas vacinas pelo governo federal, ampliação da residência médica no país e a habilitação de novos leitos de UTI. O comitê de enfrentamento à covid-19 foi criado no mês passado com o objetivo de coordenar e alinhar as ações dos poderes Executivo e Legislativo na resposta à pandemia.

"O comitê não substitui a função executiva de cada um dos entes, de cada uma das instituições e de cada um dos poderes, o comitê é uma forma inteligente de se sentarem à mesa todos esses personagens e discutirem aquilo que é possível identificar as convergências e avançar  nas convergências, e quando houver divergências, haverá formas de solução a partir de diálogo", ressalta o presidente do Senado, reforçando a necessidade de se manter a harmonia para o enfrentamento à pandemia no país.

>Câmara suspende votações após morte do deputado Schiavinato por covid-19

>STF deve confirmar decisão de Barroso sobre CPI da Covid

Continuar lendo