Cidades-sedes da Copa América vacinaram menos de 15% de sua população

A confirmação de quatro das cinco sedes da Copa América em 2021, feita pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (1º), mostra um descompasso entre a celeridade do governo brasileiro para receber o evento e a velocidade de imunização da população. Dados coletados pelo Congresso em Foco mostram que nenhuma das capitais escolhidas para abrigar o torneio - Cuiabá, Goiânia, Brasília e Rio de Janeiro - possui sequer 15% dos habitantes imunizados com as duas doses. Os estados que elas integram também não chegam a esse percentual de vacinação.

O pedido da Conmebol, organizadora da Copa, foi atendido pelo presidente Jair Bolsonaro em menos de 24h. Logo, tornou-se alvo de críticas na medida que o país vivencia a iminência de uma terceira onda.  A média diária de óbitos permanece alta -  na casa dos 2 mil - e o país ultrapassa o total de 463 mil mortos pela pandemia.

Entre as sedes confirmadas, o Distrito Federal conta com a maior taxa de imunização completa em relação à população absoluta. Segundo dados do governo, até esta terça-feira (1º) 320.098 pessoas haviam recebido as duas doses da vacina na unidade federativa, cerca de 10,4% da população total, que é de 3,05 milhões de pessoas. 

Por outro lado, na lista das capitais cotadas para receber jogos, Goiânia é a que vacinou mais em relação à população. Foram aplicadas a segunda dose das vacinas contra a covid-19, até o momento, em 211.516 pessoas – cerca de 14% da população da cidade que soma 1,5 milhão de habitantes.

A cidade do Rio de Janeiro deverá sediar a final do torneio no Estádio do Maracanã, o principal do país. A cidade aparece pouco abaixo de Goiânia, com 13,8% da população imunizada, enquanto Cuiabá (9,59%), e Brasília (10,48%) ficam mais atrás.

Apesar de o ministro-chefe da Casa Civil, general Luiz Carlos Ramos, e do secretário especial dos Esportes, Marcelo Magalhães, terem dito nesta segunda-feira que que o governo federal não iria interferir neste processo, a fala de Bolsonaro indica outro caminho.

Porém, estados que antes haviam se inclinado a receber jogos acabaram por recuar. No final da tarde, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou que não abriria a porta par aos jogos neste momento.


> Bolsonaro nomeia Pazuello Secretário de Estudos Estratégicos do Planalto
> Na CPI da Covid, Nise Yamaguchi tenta se descolar de Bolsonaro

Continuar lendo