Leila critica punição a Carol Solberg e diz que jogadores fizeram campanha para Bolsonaro

A senadora Leila Barros (PSB-DF) discordou da decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) que puniu a jogadora de vôlei Carol Solberg com uma advertência por ter gritado "Fora Bolsonaro"  durante uma  entrevista após uma partida em Saquarema (RJ), no último dia 20. A punição foi uma multa de R$ 1.000, convertida em advertência.

"Não concordo com a punição, mesmo que tenha sido revertida para uma advertência. O país inteiro assistiu a atletas do vôlei fazendo campanha para o mesmo governo que foi criticado pela Carol Solberg", disse ao Congresso em Foco.

Para a parlamentar que  já foi secretária de Esportes e Lazer do Distrito Federal e fez parte da seleção brasileira de voleibol feminina, " está na hora de o esporte brasileiro se aprofundar sobre este tema e debater um mecanismo que estabeleça um equilíbrio".

O advogado Otacílio Soares de Araújo, presidente da comissão do STJD que julgou Carol Solberg, disse que a advertência seria um "puxão de orelha" para Carol.

"O atleta tem que saber que é o grande artista do espetáculo e que tem certas horas em que você não pode falar coisas dentro da quadra de jogo. Dentro da quadra de jogo é errado, senão daqui a pouco vira moda", afirmou.

>STJD pune atleta Carol Solberg por protesto contra Jair Bolsonaro 

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!