Autoridades lamentam incêndio com mortes no Ninho do Urubu; Bolsonaro se diz “consternado”

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e demais autoridades do governo se manifestaram nesta sexta-feira (8) sobre o incêndio que culminou em 10 mortes no Ninho do Urubu, centro de treinamento do Flamengo no Rio de Janeiro. Nas palavras do presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, "maior tragédia da história do Flamengo". Por meio do Twitter, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) se disse consternado e se solidarizou com os familiares das vítimas.

"Nesta manhã, tomamos conhecimento da triste tragédia ocorrida no Centro de Treinamento do Flamengo, vitimando jovens vidas que iniciavam sua caminhada rumo à realização de seus sonhos profissionais", diz a postagem do presidente, que é palmeirense e está internado há cerca de dez dias em São Paulo.

Procuradora-geral da República, Raquel Dodge disse há pouco em coletiva de imprensa que certas tragédias podem ser evitadas. "Estamos lidando, no mundo moderno, com fenômenos que causam desastres humanos de grandes proporções produzidos por usinas nucleares, barragens, chuvas que causam deslizamentos há anos seguidos. São fenômenos e fatos que exigem a atuação dos órgãos de controle para verificarmos se as medidas estão sendo tomadas", pontuou a procuradora, ao abrir sessão extraordinária do Conselho Superior do Ministério Público Federal (MPF), em Brasília.

 

Também por meio do Twitter – rede social em que, ontem (quinta, 7), comemorou os mais de 300 mil seguidores alcançados –, o vice-presidente Hamilton Mourão lamentou o incêndio e se disse "profundamente triste". "Como torcedor e esportista solidarizo-me com as famílias, o Clube e a Nação Rubro-Negra. Deus conforte a todos. Toque de silêncio", escreveu o general da reserva, referindo-se ao símbolo sonoro de luto das Forças Armadas e usando a hashtag #ForçaFlamengo.

Autoridade para a torcida rubro-negra, o craque Zico também se manifestou sobre a tragédia. Maior artilheiro da história do Maracanã e considerado por muitos o melhor jogador da história do clube, o "Galinho de Quintino" pediu apuração sobre responsabilidades pelo ocorrido.

Veja no vídeo:

 

"Que tragédia essa com a base do Flamengo. Que choque receber essa noticia aqui do outro lado do mundo. Que tenha sido uma fatalidade. Que Deus conforte os familiares que perderam seus filhos, netos, irmãos, sobrinhos, enfim, parentes. Meninos que sonhavam com um futuro em suas vidas e muitos sem duvida em ajudarem suas famílias. Que se apure tudo pois uma tragédia dessas nao pode passar em branco. Vidas se foram. Que a Nação Rubro-Negra tenha força e fé para superar esse momento", escreveu Zico, que também já foi dirigente do Flamengo, por meio de sua conta no Instagram.

 

 

Além dos mortos, o incêndio no Ninho do Urubu deixou três jogadores feridos. Todas as vítimas compõem a base do Flamengo, com atletas de pouca idade e até de outros estados que precisavam se alojar no local, que fica em uma região afastada da cidade do Rio de Janeiro e da sede social do clube, na Gávea, zona sul fluminense.

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro investiga as causas do incêndio, mas as primeiras informações dão conta de que as instalações do centro de treinamento não tinha condições adequadas de segurança. Meninos entre 14 e 17 anos dormiam quando começou o incêndio, no início da manhã desta sexta-feira (8). A principal suspeita é de curto-circuito em um dos ares-condicionados do prédio em questão.

 

> Bolsonaro comemora no Twitter “o prazer de voltar a comer”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!