Asfalto público em empresa de Maggi

Procedimento investigatório do MP do Mato Grosso apura asfaltamento de estrada na empresa do ex-governador

Alexandre Aprá,
Especial para o Congresso em Foco

O Ministério Público Estadual (MPE) também instaurou um procedimento investigatório para apurar se a nova sede do Grupo André Maggi, de propriedade do ex-governador Blairo Maggi, em Cuiabá, foi beneficiada por uma obra de drenagem e pavimentação asfáltica que está sendo feita com recursos públicos do governo estadual da ordem de R$ 2,1 milhões.

Uma funcionária pública, que fez a denúncia ao MPE, afirma que viu os mesmos caminhões e funcionários da Constil, emprenteira que executava a obra do governo, realizarem o asfaltamento do entorno da sede do grupo de agronegócios. Ela, inclusive, enviou fotos ao MP, que decidiu investigar o caso.
A denúncia também relata o fato de caminhões do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) terem sido usados na obra, segundo a denúncia. O responsável pela investigação é o promotor Célio Joubert Furio, coordenador do Núcleo da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa.

Blairo nega o beneficiamento. Segundo comunicado oficial do Estado, as obras fazem parte de um projeto urbanístico de 1973. Maggi garante que as obras de duplicação da via já estavam contidas no projeto e não foram, portanto, uma decisão de seu governo.

Leia a defesa completa de Blairo Maggi sobre todos os casos
Mentor de Pagot, Maggi responde a vários processos

Continuar lendo