Zambelli, Bibo e Alê estão suspensos do PSL; expulsão é próximo passo

Os deputados federais Bibo Nunes (RS), Carla Zambelli (SP) e Alê Silva (MG) e o deputado estadual Douglas Garcia (SP) foram suspensos das atividades partidárias pelo PSL. A informação foi confirmada  ao Congresso em Foco pelo deputado federal Júnior Bozella (SP), um dos porta-vozes do grupo do presidente da legenda, Luciano Bivar, que está em guerra com a ala do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Os quatro deputados punidos são aliados de Bolsonaro. A expulsão da sigla pode ser o próximo passo. “Isso é um processo que vai correr dentro do rito determinado pelo Conselho de Ética”, disse Bozella. O partido também vive uma acirrada disputa pela liderança na Câmara.

Com a suspensão eles não podem mais participar de comissões na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa de São Paulo, nem exercer cargo de líder, vice-líder ou posto de comando nos diretórios municipais, estaduais e nacional da sigla.

Até agora o único deputado federal expulso pelo partido foi Alexandre Frota, hoje no PSDB de São Paulo. O pedido de expulsão dele partiu de Carla Zambelli, que atualmente está na situação inversa. O período entre o pedido e a saída de Frota foi de cerca de uma semana.

A crise na sigla foi destacada pelo Congresso em Foco em setembro, quando deputados revelaram ao site que a situação dentro do partido era de racha e possível debandada.

O clima piorou no dia 8 de outubro, quando Bolsonaro disse para um seguidor esquecer a sigla e que Bivar estava “queimado pra caramba”. Desde então, troca de farpas estão acontecendo dos dois lados, opondo os aliados do presidente e os que estão do lado do deputado pernambucano.

> Eduardo e Flávio Bolsonaro serão destituídos da direção do PSL, diz aliado de Bivar

> PSL se livrará de xiitas e folclóricos, diz aliado de Bivar

Catarse
Alê Silvaalexandre frotaBibo NunesCarla ZambelliJair BolsonaroLuciano BivarPSL