Washington Post cita Congresso em Foco em texto sobre Cunha, o ‘Frank Underwood’ brasileiro

Intitulada “O ‘Frank Underwood’ brasileiro dá suporte ao governo ou quer derrubá-lo?”, reportagem retrata ação oposicionista do presidente da Câmara e seu “lado sinistro”

Reprodução da internet
O Congresso em Foco foi mais uma vez usado como fonte em reportagem do Washington Post, na edição desta sexta-feira (29), sobre o nosso Parlamento. Desta vez, o personagem principal é o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é retratado pelo repórter Dom Phillips como uma ameaça ao governo Dilma Rousseff. O jornal norte-americano, um dos mais importantes do mundo, chama Cunha de “Frank Underwood” brasileiro já no título da matéria, em referência ao protagonista corrupto da série “House of Cards”, sucesso de público na TV fechada.

Intitulada “O ‘Frank Underwood’ brasileiro dá suporte ao governo ou quer derrubá-lo?” (tradução livre para “Does Brazil’s ‘Frank Underwood' support the government – or does he want it to fall?”), a reportagem lembra que Cunha é “evangélico cristão” e toca bateria. Mas o foco principal do texto é a ação parlamentar do peemedebista, que põe em xeque, segundo o jornal, a base aliada e abre “fissuras amplas nas alianças frágeis” do governo.

Com menção à reforma política pautada por Cunha nesta semana, a matéria lembra que ele rejeitou o trabalho da comissão especial e levou as proposições direto para plenário. O texto menciona ainda decisões da Câmara, patrocinadas pelo deputado, como a que elevou de 70 para 75 anos a idade-limite da aposentadoria compulsória de ministros do Supremo Tribunal Federal e outros cargos, nos termos da chamada PEC da Bengala.

A menção ao site acontece quando o repórter aborda o perfil de Cunha, e consulta o fundador e editor-chefe do Congresso em Foco, Sylvio Costa, para comentar a atuação do parlamentar. “Os críticos têm chamado Cunha de perigoso, retratando-o como um operador político implacável e resiliente que dirige a Câmara dos Deputados de forma imperial. ‘Ele tem esse lado sinistro’, disse Sylvio Costa, fundador do Congresso em Foco, um cão-de-guarda legislativo”, diz trecho da reportagem.

Cunha é constantemente comparado ao personagem de “House of Cards” – chegou a estampar capa da revista IstoÉ, edição de 15 de março de 2014, com o título “O sabotador da República”, com fotomontagem imitando a célebre imagem de Underwood com as mãos sujas de sangue, em texto que guarda semelhanças com a matéria do Post. O deputado já falou sobre sobre a analogia em entrevista recente ao Valor Econômico. “Eu vi essa série. Existem três diferenças clássicas, ali: o cara é um assassino, o cara é um corrupto e o cara ainda é um homossexual. Não dá para eu aceitar essa comparação. É ofensiva”, disse o peemedebista.

Leia a íntegra da reportagem do Washington Post (em ingles)

Mais sobre reforma política

Mais sobre PEC da Bengala

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!