Waldir diz que é dever de Jair Bolsonaro pacificar o PSL: “É um tsunami que ele criou”

Ex-líder do PSL na Câmara, o Delegado Waldir disse nesta terça-feira (22) que é dever do presidente Jair Bolsonaro pacificar o partido que hoje está rachado entre bolsonaristas e bivaristas. Waldir alegou que, apesar do áudio em que aparece dizendo que vai implodir o presidente da República, Bolsonaro é o verdadeiro responsável pelo "clima de implosão" vivido pelo PSL e, por isso, deve agir para que o PSL volte ao normal.

> Eduardo Bolsonaro é confirmado líder do PSL na Câmara

"Eu não criei nenhum clima de implosão. Quem criou foi o presidente da República. Não foi um clima criado por mim ou por qualquer parlamentar. É um clima criado pelo presidente da República. É um tsunami que ele criou. Cabe a ele tentar cessar", afirmou o Delegado Waldir, dizendo que os atritos internos do PSL têm sido incitados pelo presidente Jair Bolsonaro. "Nós tentamos o diálogo. Mas me parece que ninguém quer diálogo, quer atropelar", afirmou Waldir, dizendo que é por conta disso que o PSL está dividido entre "água e óleo".

Apesar de dizer que quer pacificar o partido, o Delegado Waldir, que é aliado do presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, disse que a executiva vai continuar com o processo que pede a suspensão de 19 deputados ligados a Jair Bolsonaro. As notificações dessas suspensões começaram a ser entregues nessa segunda-feira (21) aos deputados, que já recorreram da decisão partidária no Supremo Tribunal Federal (STF). Waldir, porém, minimizou a decisão do STF que cancelou essas suspensões. "Depois disso, o conselho [de ética] se manifesta e encaminha a decisão ao presidente Rodrigo Maia para que ele cumpra a suspensão", afirmou o ex-líder do PSL na Câmara.

Waldir ainda disse que, depois dessa suspensão, o PSL vai apresentar uma nova lista para tentar lhe reconduzir à liderança do PSL na Câmara. "Aí voltaremos a ter a paz completa no PSL e nesta Casa", afirmou, logo depois de a Secretaria Geral da Mesa confirmar que a liderança do PSL na Câmara agora é Eduardo Bolsonaro. Segundo a Mesa, das listas apresentadas nessa segunda-feira, foram validadas 26 assinaturas a favor de Waldir e 28 a favor de Eduardo. Waldir, porém, minimizou a decisão dizendo que esta é uma lista velha e que a lista oficial será apresentada só depois que o PSL suspender esses 19 deputados bolsonaristas, o que reduziria a base de apoio de Eduardo Bolsonaro.

> Eduardo Bolsonaro sai correndo para fugir da imprensa na Câmara; veja o vídeo

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!