Vídeo: Alvaro Dias diz que será fiscal do governo Temer

Ex-PSDB, senador defende impeachment de Dilma e promete apoiar reformas “que estruturem o país”, mas condena “barganha política na formação do ministério” Temer

Em 2005, o senador Alvaro Dias (PV-PR), então representante do PSDB, pediu o impeachment de Lula depois que estouraram as notícias do mensalão. Na época, a popularidade do então presidente impediu que o pedido fosse adiante. Um dos mais notórios opositores, no Congresso, das gestões petistas, ele diz que o Partido dos Trabalhadores continuou abraçado à corrupção.

Agora, Alvaro remete à campanha lançada na gestão José Sarney (PMDB) para controle de preços, em meio a uma inflação elevada, e garante que será “fiscal” do governo Temer – desta vez, no entanto, não necessariamente a favor do Executivo. “Quero ser fiscal do governo. É preciso que alguém cumpra esse papel de fiscal do governo com lealdade”, diz o senador, sem esquecer quem de fato está em sua mira. “O PT é o responsável por esse caos”, sentencia, acrescentando que o partido adversário fará uma “oposição raivosa, revanchista, desleal”.

Veja no vídeo:


“Defendi com energia o impeachment da presidente Dilma porque o povo quis. O povo foi pra rua pedir, exigir isso. Crimes de responsabilidade, pontos essenciais da Lei de Responsabilidade Fiscal foram atingidos pelas pedaladas. Decretos sem autorização do Congresso. Isso você já sabe também. Além desse conjunto da obra, não é? Que levou o país a uma crise enorme, econômica, social, política, ética. Inflação, recessão, desemprego... tudo isso empurrando-nos para a necessidade de mudança”, observa o parlamenta paranaense, que avisa: “E agora? Novo governo... Devo apoiar cegamente esse governo? Não me peçam isso.  Eu não conseguirei. Não peçam meu silêncio diante de erros, desvios, equívocos”.

Mais sobre crise brasileira

Mais sobre Alvaro Dias

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!