Viagem de Cunha e aliados a Israel e Rússia custou R$ 347 mil

Segundo informações da Folha de S. Paulo, Câmara não bancou gastos com esposas ou com amigos do presidente da Câmara que também participaram da viagem

A viagem internacional do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e vários aliados a Israel, Palestina e Rússia, durante o feriado de Corpus Christi, custou aos cofres públicos R$ 347 mil, informa o jornal Folha de S. Paulo, deste sábado (11).

Oficialmente, o ‘tour’ era uma viagem oficial para estreitar relações com o parlamento israelense e para a participação dos deputados na reunião parlamentar dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), ocorrida na Rússia. Durante a excursão, Cunha se reuniu com o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, e com o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas.

No entanto, durante a viagem oficial, os deputados participaram de um roteiro turístico religioso elaborado pela Câmara, que incluiu visitas ao Mar da Galileia, Nazaré, Jerusalém e Belém. Aliados do presidente da Câmara que não detém mandato parlamentar e esposas dos deputados também estavam na comitiva. Entre eles, o candidato do PSC à presidência da República no ano passado, o Pastor Everaldo e Cláudia Cordeiro Cruz, esposa de Cunha. A Câmara afirma que não custeou passagens ou diárias para os convidados do presidente da Casa e as esposas dos parlamentares.

Além de Cunha, também foram acompanhados por suas mulheres os deputados Átila Lins (PSD-AM); o 1º secretário da Casa, Beto Mansur (PRB-SP) e o líder da Minoria, Bruno Araújo (PSDB-PE).

 

Confira a matéria completa

Saiba mais sobre farra das passagens

Continuar lendo