Dados das últimas pesquisas para o governo do DF e de oito estados

Em Pernambuco, candidato de Eduardo Campos aparece na frente pela primeira vez. No Paraná, Beto Richa abre vantagem sobre Requião. Veja também os números da disputa no Rio, no Rio Grande do Sul, em São Paulo, Minas, Bahia e Goiás

Confira abaixo os dados de pesquisas realizadas pelos institutos Ibope e Datafolha e divulgadas na noite desta quarta-feira (10). As entrevistas com os eleitores foram feitas nesta semana.

 

Bahia

O ex-governador Paulo Souto (DEM) continua liderando a disputa pelo governo da Bahia, com 46% das intenções de voto, percentual que lhe garantia vitória no primeiro turno.

O segundo colocado, Rui Costa (PT), cresceu nove pontos em duas semanas, passando de 15% para 24%.  A senadora Lídice da Mata (PSB) aparece com 6% das intenções de voto.

Brancos e nulos somam 11%. Indecisos: 11%.

Em simulação de segundo turno, Paulo Souto aparece com 50% contra 29% de Rui Costa.

O Ibope ouviu 1.312 eleitores. Margem de erro: três pontos. Registro na Justiça eleitoral: BA-00581/ 2014.

 

Distrito Federal

Mesmo barrado pela Justiça eleitoral com base na lei da Ficha Limpa, o ex-governador José Roberto Arruda (PR) continua na liderança da disputa pelo governo do Distrito Federal, com 37% das intenções de voto.

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) e o governador Agnelo Queiroz (PT) continuam empatados. Rollemberg cresceu cinco pontos e agora tem 18%. O petista manteve os 19%.

Em simulação de segundo turno, Arruda e Rollemberg estão tecnicamente empatados – 42% e 43%, respectivamente. Na disputa com Agnelo, o candidato do PR tem 49% , ante 30% do petista.

O Datafolha ouviu 765 eleitores do Distrito Federal. A margem de erro da pesquisa é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos. Registro na Justiça eleitoral: DF-00040/ 2014.

 

Goiás

Candidato à reeleição, o governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB) tem 38% das intenções de voto. A taxa de rejeição do tucano também é a mais alta: 27%.

O ex-governador Iris Rezende (PMDB) tem 28% das intenções de voto. O candidato do PSB, Vanderlan Cardoso, aparece em terceiro lugar, com 9%.

O Ibope ouviu 812 eleitores. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Registro na Justiça eleitoral: BR–00580/ 2014.

 

Minas Gerais

Em Minas Gerais, o cenário da disputa pelo governo é estável, de acordo com o Datafolha. O ex-ministro Fernando Pimentel (PT) lidera com 34% das intenções de voto, contra 23% de Pimenta da Veiga (PSDB).

Tarcísio Delgado (PSB) tem 3%. Eduardo Ferreira (PSDC) e Fidélis (PSOL), 2% cada um. Indecisos somam 26%. Brancos e nulos: 9%.

Em eventual segundo turno, o petista aparece com 42% e o tucano com 29%.

Foram 1.295 entrevistas. Margem de erro: três pontos. Registro na Justiça eleitoral: MG-00080/ 2014.

 

Paraná

Candidato à reeleição, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), ampliou a vantagem em relação ao senador Roberto Requião (PMDB).

No levantamento divulgado hoje, Richa tem 44% das intenções de voto, contra 28% do peemedebista. A senadora Gleisi Hoffmann (PT) continua em terceiro lugar, com 10%.

O peemedebista tem a taxa de rejeição mais alta: 27%. Em simulação de segundo turno, Richa figura com 53% e Requião, 33%.

No Paraná, o Datafolha fez 1.201 entrevistas. A margem de erro é de três pontos percentuais. Registro na Justiça eleitoral: PR-00031/ 2014.

 

Pernambuco

O candidato Paulo Câmara (PSB) apareceu pela primeira vez numericamente à frente do senador Armando Monteiro (PTB) na disputa pelo governo de Pernambuco. Ex-secretário estadual da Fazenda, Paulo Câmara tem 39% das intenções de voto, contra 33% do parlamentar. Eles estão tecnicamente empatados, considerando a margem de erro, que é de três pontos, para mais ou para menos.

Na simulação de um eventual segundo turno, Paulo Câmara e Armando Monteiro aparecem empatados, no limite da margem de erro, com 43% e 37%, respectivamente. Câmara tinha como padrinho político o ex-governador Eduardo Campos, que morreu em agosto.

O Datafolha ouviu 1.211 pessoas. Registro na Justiça eleitoral: PE-00023/ 2014.

 

Rio de Janeiro

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e o deputado federal Anthony Garotinho (PR) têm 25% da preferência do eleitorado. Com esse percentual, eles estão empatados tecnicamente.

O senador Marcelo Crivella (PRB) tem 19%, também empatado tecnicamente com os dois, mas no limite de margem de erro. Em quarto lugar está o também senador Lindbergh Farias (PT), com 12%.

Em simulação de segundo turno, o peemedebista seria reeleito, segundo a pesquisa, com 47%, contra 35% do candidato do PR.

O Datafolha entrevistou 1.348 eleitores. A pesquisa, cuja margem de erro é de três pontos percentuais, foi registrada na Justiça eleitoral com o número RJ-34/ 2014.

 

Rio Grande do Sul

A corrida pelo governo do Rio Grande do Sul continua inalterada. A senadora Ana Amélia Lemos (PP) segue na liderança, com 37% das intenções de voto, e o governador Tarso Genro (PT) permanece em segundo lugar, com 28%.

Terceiro colocado, José Ivo Sartori (PMDB), que conta com o apoio da presidenciável Marina Silva (PSB), tem 11%. E o pedetista Vieira da Cunha, 2%.

Votos brancos e nulos somam 3%. Não souberam ou não quiseram opinar: 17% dos entrevistados.

Em simulação de segundo turno, Ana Amélia seria eleita, com 49%, ante 36% de Tarso Genro, que tem a taxa de rejeição mais alta (24%).

O Datafolha ouviu 1.258 eleitores. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Registro na Justiça eleitoral: RS-00015/ 2014.

 

São Paulo

Em São Paulo, o quadro também é o mesmo de pesquisas anteriores. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pode ser reeleito no primeiro turno. No entanto, o Datafolha aponta que as chances de o tucano conquistar o segundo mandato no primeiro turno vêm diminuindo desde o início do horário eleitoral no rádio e na TV.

Na primeira quinzena de agosto, o governador tinha 55% das intenções de voto, ante 16% de seu adversário mais próximo, o empresário Paulo Skaf (PMDB). O percentual de Alckmin agora é de 49%. O peemedebista chegou a 22%.

Em eventual segundo turno, segundo a pesquisa, Alckmin derrotaria o candidato do PMDB por 58% a 30%. O candidato do PT, Alexandre Padilha, tem 9% e segue como o mais rejeitado – 36% dos entrevistados disseram não votar nele de jeito nenhum.

O Datafolha fez 2.046 entrevistas. Margem de erro: dois pontos. Registro na Justiça eleitoral: SP-00029/ 2014.

 

Mais sobre as eleições 2014

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!