Empresas ligadas à Lava Jato suspeitas de corrupção em Portugal

De acordo com a revista Veja, o Grupo Lena, acusado de ser o maior contratante dos serviços do ex-primeiro ministro português preso por corrupção, tem como principal parceira a empreiteira Odebrecht

Reportagem da revista Veja desde sábado (7) mostra que empreiteiras ligadas ao esquema de corrupção desarticulado pela Operação Lava Jato estão associadas a um esquema de corrupção investigado pela polícia de Portugal. O esquema já levou para a cadeia o ex-primeiro ministro português José Sócrates.

Sócrates está preso desde novembro do ano passado. Ele foi chefe do governo de Portugal de 2005 a 2011. Segundo a revista, ele é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude fiscal. Para a Veja, o esquema português era semelhante ao investigado pela operação Lava Jato: políticos agindo em conluio com grandes empresas em troca de propina.

De acordo com a reportagem, o Grupo Lena, acusado de ser o maior contratante dos serviços de Sócrates, tem como principal parceira a empreiteira Odebrecht, envolvida no Brasil no esquema de corrupção na Petrobras.

“Empreiteiras envolvidas no escândalo do petrolão aparecem ligadas a alvos da investigação portuguesa. Empresas portuguesas investigadas em Lisboa, com o Banco Espírito Santo e a Portugal, aparecem como suspeitas de financiar o esquemas brasileiros, como o mensalão. Essa conexão, num primeiro momento, foi facilitada pela afinidade política: a proximidade entre o PT brasileiro e o Partido Socialista português, especialmente nos anos do governo de José Sócrates e de Lula no Brasil”, informa a revista.

 

Leia a matéria na íntegra

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!