Veja como os partidos orientam a votação

Até o momento seis legendas liberaram seus representantes na Comissão do Impeachment para votarem como quiserem

Líderes na Câmara de partidos divididos em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff liberaram seus representantes para votar como quiserem o parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO) nesta segunda-feira (11) na Comissão do Impeachment. O relatório defende a admissibilidade da denúncia contra a presidente. Essa foi a postura dos líderes Picciani (RJ) liberou a bancada do PMDB, Aluisio Mendes (MA) do PTN e Givaldo Carimbão (AL), do PHS. A Rede, o PP e o PSD também liberaram os votos de seus representantes.

“Nossa executiva nacional defende publicamente o impeachment e é acompanhada por grande parte da bancada. Mas a outra parcela é contra o afastamento e é essa posição em que me encontro”, disse Aluisio. “Seja qual for a posição que tenhamos aqui, devemos ter a clareza dos argumentos, clareza da nossa decisão e da consequência da nossa decisão não só para o presente, mas para o futuro e também para o julgamento da História”, disse Picciani, ao liberar o voto da bancada.

O líder do PP, Aguinaldo Ribeiro (PB), disse que vai votar contra o impeachment, mas liberou a bancada. “Poderia votar pelo impeachment, mas teria que ficar incontestavelmente comprovado o crime de responsabilidade. E, em relação a isso, o próprio relator reconhece que há duvidas sobre a responsabilidade da presidente”, disse Aguinaldo.

O PSD está dividido. Enquanto Marcos Montes (PSD-MG) defendeu o impeachment da presidente, seu correligionário Paulo Magalhães (BA) falou contra o processo.

Representantes do PV, PSB, DEM, SD, PSDB, PTB, PPS, PSC, PRB, PSL e PMB na comissão já declararam voto contra a presidente; do outro lado, Psol, Pros, PT, PDT, PEN, PCdoB e PTdoB são contra o impeachment.

Mais sobre impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!