Veja como ficou a composição da Mesa Diretora da Câmara

Chapa oficial, definida pela proporcionalidade das bancadas parlamentares, acabou eleita na íntegra. Deputados tomaram posse logo após a definição do novo presidente da Câmara

Cargo Eleito Votação
Presidência Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) 271
1ª vice André Vargas (PT-PR) 420
2ª vice Fábio Faria (PSD-RN) 251
1ª secretaria Márcio Bittar (PSDB-AC) 437
2ª secretaria Simão Sessim (PP-RJ) 307
3ª secretaria Maurício Quintella Lessa (PR-AL) 449
4ª secretaria Antonio Biffi (PT-MS) 416
1ª suplência Gonzaga Patriota (PSB-PE) 426
2ª suplência Takayama (PSC-PR) 417
3ª suplência Vitor Penido (DEM-MG) 462
4ª suplência PDT Wolney Queiroz (PDT-PE) 375

Após a declaração do resultado da disputa pela eleição da Câmara, o novo presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), declarou os deputados que vão compor a Mesa Diretora para os próximos dois anos. Todos os integrantes estavam na chapa oficial, aquela definida pelos partidos de acordo com o tamanho das bancadas. "Essa vitória é a vitória da proporcionalidade das bancadas", resumiu o líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE).

Editorial: a rendição do Congresso ao chiqueiro da política

Leia tudo sobre a eleição da Mesa

Dos 11 cargos da Mesa, incluindo a presidência, somente três tiveram candidatos avulsos. A maior disputa foi pela segunda vice-presidência. Fábio Faria (RN), indicado pelo PSD para ocupar o cargo, venceu a disputa com apenas dois votos a mais do que o necessário. Ele teve o apoio de 251 parlamentares.

Henrique Alves é o novo presidente da Câmara
Câmara é injustiçada por se expor, diz Henrique Alves

Apesar de eleito para a segunda vice, Fábio Faria não será o novo corregedor da Câmara. Uma decisão do ex-presidente da Casa Marco Maia (PT-RS) repassou o órgão para a terceira secretaria, hoje nas mãos do PR. Porém, a determinação precisa ser referendada pela nova Mesa. Existe a expectativa que a Corregedoria seja transformada em órgão autônomo.

Deputados decidem divisão de espaços na Mesa

Fábio foi um dos deputados acusados de usar irregularidade a cota de passagens aéreas na chamada “farra das passagens". As reportagens do Congresso em Foco mostraram que ministros, senadores e deputados – incluindo o presidente da Câmara, o hoje vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB) – usavam suas cotas de passagens aéreas para viagens pessoais e de passeio, pagando as despesas de parentes e até de artistas. Fábio Faria usou o benefício da Câmara para pagar passagens da ex-namorada Adriane Galisteu, da mãe e de um amigo dela. Também recorreu à cota parlamentar para levar artistas para o seu camarote no carnaval fora de época de Natal.

Leia tudo sobre a farra das passagens

O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), também ressaltou a importância da eleição da chapa oficial "para que cada bancada seja resguardada da proporcionalidade". Ele lembrou que a proporcionalidade também vai pautar a escolha das comissões permanentes da Casa. A discussão deve começar após o carnaval. Ele, porém, disse que é um momento difícil para o Parlamento brasileiro. "Estamos recebendo verdadeiros puxões de orelha dos outros poderes, especialmente o Judiciário", afirmou.

Eduardo Cunha (RJ), novo líder do PMDB, disse que o partido "se sente muito honrado" de ter Henrique Alves na presidência da Câmara. Ele lembrou da passagem dos peemedebistas Ulysses Guimarães (SP) e Michel Temer, atual vice-presidente da República, pelo comando da Casa. "Este é o tamanho da responsabilidade que Vossa Excelência tem", disse o deputado fluminense.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!