Veja como Carlinhos Cachoeira lavou R$ 8,6 milhões

Extra
Cachoeira lavou R$ 8,6 milhões em contas de ex-mulher e ex-cunhado
Para se blindar contra bloqueios judiciais, o contraventor Carlinhos Cachoeira transferiu R$ 8,658 milhões para contas da ex-mulher Andrea Aprígio e do ex-cunhado Adriano Aprígio entre 2007 e 2010. Foi uma forma de ele ‘esquentar’ o dinheiro que ganhava com as operações ilícitas. As transferências foram declaradas à Receita Federal, mas sem informar a origem dos valores, que aumentaram gradativamente. Nesse período, para a ex-mulher foram R$ 5,025 milhões. E Adriano recebeu 3,633 milhões. O senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) já tem detalhes para cobrar explicações no futuro depoimento de Cachoeira.

Cachoeira usou conta de ex-mulher e ex-cunhado para lavar dinheiro

Cofre em casa
Ficou nítida também a manobra de Cachoeira para esconder o dinheiro. Ele declarou à Receita que guardava R$ 1,405 milhão em casa em 2007. Em 2010, eram só R$ 276 mil.

Ouviu não!
Está no inquérito da Monte Carlo: Cachoeira insistiu com a mulher, Andressa, para que se mudassem para apartamento no mesmo prédio onde mora sua ex, em Goiânia.

Leia tudo sobre o Caso Cachoeira

Outros destaques de hoje no Congresso em Foco

Olheiro
Sem ser titular nem tampouco suplente da CPI, o deputado Simão Sessim (PP-RJ) entrou na surdina na sessão de ontem e ganhou cadeira. Ficou até o fim. Foi como olheiro. Ele é primo do bicheiro Aniz Abraão David, patrono da Beija-Flor, figura conhecida da PF do Rio. A polícia investiga suposta ligação dos bicheiros cariocas com Cachoeira.

Penetras
Outros dois penetras na CPI foram os deputados Leonardo Picciani (PMDB-RJ) e Garotinho (PR-RJ). Picciani garante que é suplente, embora o nome não apareça. Garotinho tentou discursar, mas lhe cortaram o microfone.

Na moita
Com o aval de Lula, Luiz Marinho, prefeito de São Bernardo, coordena as campanhas dos candidatos petistas no ABC. O objetivo é conquistar cinco das sete prefeituras. Marinho sonha se cacifar para disputar o governo em 2014.

Tempestade
Marinho incomoda. Marta Suplicy e Aloizio Mercadante já começaram a se coçar. A senadora mandou um velado recado em discurso na Câmara de São Paulo dia 21.

Bem estranho
Márcio Thomaz Bastos, ex-advogado do PT e ligado ao partido, defende um bicheiro com crimes cometidos também durante sua gestão como ministro da Justiça.

E vem confusão…
Vai dar problema nos três Poderes a determinação do Planalto, com a Lei de Acesso à Informação, de divulgação de salários de servidores na internet. Associações já preparam ação na Justiça.

…em casa
Por dois motivos. Servidores que ganham dois dígitos temem por sua segurança pessoal nas ruas. Outra, porque muito marido ou mulher, servidor público, não sabe quanto realmente ganha o cônjuge.

Cela arco-íris
Do blog do Josué Oliveira, na Folha Vitória: o presidente do TJ, Pedro Feu Rosa, no debate sobre a criação da lei de execuções penais, gostou da proposta de visita íntima para detentos gays e do direito de protesto (pacífico) nas cadeias.

TCU nos aeroportos
O relatório do TCU sobre os portões escancarados de Cumbica (SP) e Galeão (Rio) para o contrabando, revelado pela coluna, está no prelo para ser entregue à presidente Dilma. As aéreas que se cuidem, também.

Fui ali
Deputado Silvio Costa (PTB-PE), conhecido defensor da legalização dos bingos, rodou a pernambucana na CPI, pediu fim da sessão e saiu de fininho.

Lançamento
Ivan Godoy lança hoje o livro Polônia, na Biblioteca do Senado, às 18h30, no qual mescla reportagem com diário de viagem sobre o país.

Ponto Final
Collor chamou o colunista Lauro Jardim de ‘rabiscador’. No dito popular, não há apelido certo, ou há vários, para um presidente que sofreu impeachment por corrupção.

Com Gilmar Correa e Marcos Seabra

contato@colunaesplanada.com.br . www.colunaesplanada.com.br . Twitter @leandromazzini

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!