ONU convoca reunião de emergência para discutir bomba H da Coreia do Norte

“Com o sucesso total da nossa histórica bomba H, juntamo-nos ao grupo dos estados nucleares avançados”, anunciou o governo, acrescentando que o teste foi feito com um dispositivo em miniatura, enquanto potências condenam teste e manifestam preocupação"

A União Europeia (UE) e a Rússia condenaram nesta quarta-feira (6) o teste nuclear feito pela Coreia do Norte, que consideram grave violação das resoluções das Nações Unidas e do direito internacional. O Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) convocou uma reunião de emergência, depois de a Coreia do Norte ter anunciado a realização, bem-sucedida, de teste com bomba de hidrogênio.

A reunião, a portas fechadas, entre os 15 países-membros foi convocada pelos Estados Unidos e o Japão, informou a porta-voz da missão norte-americana na ONU, Hagar Chemali.

Nesta quarta, o governo do ditador norte-coreano Kim Jong-il informou ter feito, com sucesso, o seu primeiro teste de hidrogênio, dando um passo significativo no desenvolvimento do programa nuclear.
“O primeiro teste com bomba de hidrogênio da República foi realizado com sucesso às 10h [hora local] do dia 6 de janeiro de 2016, baseado na determinação estratégica do Partido dos Trabalhadores”, anunciou a televisão estatal.

Vários centros de atividade sísmica detectaram um abalo no país, levantando-se, de imediato, a possibilidade de ter sido causado por um teste nuclear.

“Com o sucesso total da nossa histórica bomba H, juntamo-nos ao grupo dos estados nucleares avançados”, anunciou o governo, acrescentando que o teste foi feito com um dispositivo em miniatura.

Violação

Se confirmado, o teste é uma “grave violação” das resoluções da ONU e constitui ameaça à paz e à segurança de toda a Região Nordeste da Ásia, declarou a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

O anúncio do teste nuclear pela Coreia do Norte, com uma bomba de hidrogênio, foi “violação flagrante do direito internacional e das resoluções da ONU”, afirmou o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

Com informações da Agência Brasil
Mais sobre política internacional

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!