Tucanos declararam 25% do valor delatado por executivo da Odebrecht

Benedicto Junior disse que repassou R$ 6 milhões em caixa dois para campanhas a pedido de Aécio. Candidatos citados e partido registraram R$ 1,5 milhão ao TSE, informa O Globo

O ex-presidente da Odebrecht Infraestruturada Benedicto Junior afirmou que repassou R$ 6 milhões em 2014, por meio de caixa dois, para as campanhas eleitorais de Pimenta da Veiga (PSDB) ao governo mineiro, Antonio Anastasia (PSDB) ao Senado e Dimas Fabiano (PP) a deputado federal – a pedido do senador Aécio Neves (PSDB). Mas o montante declarado pelo PSDB mineiro e por esses candidatos como doações recebidas da empreiteira foi de R$ 1,5 milhão, ou seja, apenas 25% do valor informado pelo delator. A diferença nas cifras é revelada na edição deste sábado (4) do jornal O Globo.

Candidato derrotado ao governo de Minas Gerais, Pimenta declarou ter recebido apenas R$ 200 mil de forma direta da construtora e outros R$ 780 mil pelo diretório estadual tucano. A campanha do senador Anastasia registra apenas R$ 50 mil em doação direta da empreiteira, além de R$ 112 mil vindos do caixa de Pimenta. No caso de Dimas, não há registro do recebimento de qualquer doação.

De acordo com a reportagem, o diretório do PSDB de Minas Gerais, fonte da maior parte dos recursos recebidos, declarou ter recebido R$ 730 mil de forma direta e outros R$ 560 mil de forma indireta, por meio do diretório nacional tucano.

Em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral, Benedicto Júnior contou que repassou outros R$ 3 milhões de caixa dois para o pagamento de um marqueteiro da campanha do senador Aécio Neves à Presidência da República. Nos registros do TSE, a empreiteira aparece como doadora de R$ 4 milhões ao candidato e de R$ 12,6 milhões ao diretório nacional tucano.

“Todas as doações recebidas nas campanhas do partido em 2014 foram devidamente registradas na Justiça Eleitoral, conforme determina a Lei”, respondeu por nota o PSDB. “As prestações de contas do Partido e dos candidatos Pimenta da Veiga e Antonio Anastasia foram aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG)”, acrescentou.

Anastasia disse que “nunca tratou, no curso de toda sua trajetória pessoal ou política, com qualquer pessoa ou empresa sobre qualquer assunto ilícito”. Em vídeo divulgado na internet, Aécio afirmou que todos os recursos doados à sua campanha em 2014 foram recebidos de forma legal e rebateu as acusações de que o partido recebeu recursos de caixa dois ou propina. Segundo o tucano, o depoimento de Marcelo Odebrecht confirma que não houve repasses ilícitos para sua campanha.

Leia a íntegra da reportagem e da resposta de Aécio no Globo

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!