Tribunal de Contas do DF aponta superfaturamento de R$ 65 milhões em obras de asfalto

Obras foram realizadas entre 2013 e 2014, durante o governo Agnelo Queiroz. Valor superfaturado corresponde a mais de 40% do total pago pelo Governo do Distrito Federal às empresas contratadas

Ascom/RA-XXX
Ascom/RA-XXX
O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) fez uma auditoria para avaliar a qualidade do asfalto aplicado nas vias do centro de Brasília, no âmbito do programa Asfalto Novo, executado pelo Governo do Distrito Federal entre junho de 2013 e agosto de 2014, durante a gestão de Agnelo Queiroz (PT). Os auditores encontraram um superfaturamento de R$ 64,6 milhões.

O valor corresponde a quase metade do total pago às 11 empresas contratadas: R$ 152 milhões. A análise Tribunal revelou ainda que técnicos da Novacap (empresa estatal responsável pela fiscalização do empreendimento) já haviam identificado que as obras estavam abaixo dos parâmetros mínimos de qualidade. Porém, mesmo assim, o governo pagou por serviços mais caros do que os efetivamente realizados e por quantidade maior que a realmente utilizada (superfaturamento por quantidade).

Além disso, usou estimativas de preços de materiais e serviços acima dos valores de referência (superfaturamento por sobrepreço). Para a população, o resultado prático dessas falhas é um asfalto de péssima qualidade, que começou a apresentar problemas em pouco tempo.

Segundo o conselheiro do TCDF, Renato Rainha, “trata-se de um duplo desperdício de recursos públicos: primeiro, pagando por um serviço sem qualidade; depois, tendo que gastar com a manutenção e o conserto das falhas. Isso sem falar nos prejuízos para os carros e motoristas, na piora do tráfego e no risco para a segurança de quem transita pelas ruas”.

Mais sobre o Distrito Federal

Mais sobre gastos públicos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!