TRE cassa mandato de deputado federal por compra de votos e gastos ilícitos

Mandato de deputado acusado de compra de votos e gastos ilícitos de recursos vai até janeiro do ano que vem. O processo tramitava desde 2010

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso cassou, nesta terça-feira (22), o mandato do deputado federal Júlio Campos (DEM) por compra de votos e gastos ilícitos de recursos nas eleições de 2010, quando disputou uma vaga na Câmara.

Foram quatro votos favoráveis à cassação e um contrário. Relator da ação movida pelo Ministério Público (MP), o juiz José Blaszak votou pela cassação.

De acordo com a ação, o então candidato Júlio Campos distribuiu vales para que eleitores fizessem compras em supermercado e abastecessem veículos em um posto e usou suas empresas para arrecadar e oferecer benesses como se fossem pagamentos efetuados a empregados e colaboradores.

A representação foi formulada pelo MP em 2010 e julgada só hoje. O mandato parlamentar de Júlio Campos vai terminar em janeiro de 2015. Ele já tinha anunciado que não pretendia continuar na carreira política. Mesmo assim, a defesa informou que vai recorrer contra a cassação -- enquanto houver possibilidade de recurso, a sentença proferida em primeira instância não pode ser cumprida.

 

Mais sobre eleições 2014

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!