Toffoli nega liberdade aos deputados do Rio Jorge Picciani e Paulo Melo

 

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou nesta quinta-feira (30) dois pedidos de liberdade dos deputados estaduais do Rio de Janeiro Jorge Picciani (PMDB), presidente licenciado da Assembleia Legislativa do Rio de janeiro (Alerj), e Paulo Melo (PMDB).

Para o ministro, não há urgência que justifique a soltura imediata dos deputados estaduais, presos preventivamente na Operação Cadeia Velha. Na semana passada, o ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), já havia negado mesmo pedido feito ao Supremo.

Por ter sido negado no STJ, em decisão monocrática, o caso ainda deveria ir a julgamento pela pela Quinta Turma do tribunal. Diante da situação, Toffoli entendeu que houve, por parte das defesas, “flagrante intenção de suprimir a instância antecedente”.

Cadeia Velha

Picciani, Melo e o também deputado estadual Edson Albertassi (PMDB) foram presos preventivamente no último dia 16, sob a suspeita de terem recebido propinas de empresas de ônibus e construtoras, e de posteriormente lavar o dinheiro. No dia seguinte, a Alerj reverteu a decisão judicial e votou a favor da soltura dos três.

Após a votação da Alerj, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) entendeu, no último dia 21, que a Casa Legislativa não teria o poder de decidir pela soltura e determinou o retorno dos três à prisão, bem como o bloqueio de R$ 270 milhões, em dinheiro e bens, equivalentes ao que teriam recebido para favorecer as empresas em contratos públicos.

Com informações da Agência Brasil

<< Justiça volta a determinar prisão de Picciani e mais dois do PMDB em nova decisão unânime

<< Alerj derruba decisão judicial, revoga prisões e devolve mandato a Picciani, Paulo Melo e Albertassi

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!